Escolha as suas informações

Ciclone/Moçambique: 30 portugueses por localizar na cidade da Beira
Mundo 10 2 min. 20.03.2019

Ciclone/Moçambique: 30 portugueses por localizar na cidade da Beira

Ciclone/Moçambique: 30 portugueses por localizar na cidade da Beira

Foto: AFP
Mundo 10 2 min. 20.03.2019

Ciclone/Moçambique: 30 portugueses por localizar na cidade da Beira

Ciclone Idai já fez 356 mortos em Moçambique, Malawi e Zimbabwe.

(Noticia atualizada às 22:05)

Trinta portugueses estão por localizar na cidade da Beira depois da destruição provocada pelo ciclone Idai na quinta e sexta-feira, disse hoje o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, em Maputo. 

Ao mesmo tempo, o governo português anunciou que vai enviar uma força de reação rápida constituída por 35 militares, uma equipa cinotécnica e médicos a bordo de um avião C-130, para apoiar as operações no pais. A equipa parte ainda esta quarta-feira de Lisboa.

"Há ainda portugueses que não estão localizados: temos na embaixada 30 pedidos de localização", confirmou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesesas poucas horas após ter chegado a Maputo. A informação foi dada após um encontro com a embaixadora de Portugal em Maputo, Maria Amélia Paiva.

Por um lado, há 30 pedidos de localização, por outro, há 100 contactos (com portugueses e não só) feitos pela comunidade portuguesa da cidade da Beira, junto dos quais José Luís Carneiro vai tentar descobrir quem está por encontrar.

É a "tranquilidade das famílias" que está em causa, sublinhou.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas vai reunir-se a partir de quinta-feira com a comunidade portuguesa na Beira para avaliar a mobilização de recursos do Estado português para os auxiliar. Entre os principais problemas está "a destruição de habitações e empresas", concluiu.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Maláui e Zimbabué já provocou mais de 300 mortos, segundo balanços provisórios divulgados pelos respetivos governos.

Em Moçambique, o Presidente da República, Filipe Nyusi, anunciou na terça-feira que mais de 200 pessoas morreram e 350 mil "estão em situação de risco", tendo decretado o estado de emergência nacional. O país vai cumprir três dias de luto nacional até sexta-feira.

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quarta-feira à noite, deixando os cerca de 500 mil residentes na quarta maior cidade do país sem energia e linhas de comunicação.

A Cruz Vermelha Internacional indicou no início da semana que pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas só na Beira,  e considera esta a "pior crise" do género no país.

No Zimbabué, as autoridades contabilizaram pelo menos 82 mortos e 217 desaparecidos. No Malaui as únicas estimativas conhecidas apontam para pelo menos 56 mortos e 577 feridos.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Antiga secretária de Estado das Comunidades: “Governo tem de reconstituir uma máquina de apoio aos portugueses no estrangeiro”
“O Governo português deve reconstituir a Secretaria de Estado da Emigração” para dar resposta aos problemas dos emigrantes, como os novos casos de exploração de portugueses na construção. A antiga secretária de Estado da Emigração e das Comunidades, Manuela Aguiar, esteve no Luxemburgo e defende que o Governo deve ter uma política virada para os portugueses que emigram, mas também para os que regressam.
Manuela Aguiar