Escolha as suas informações

China. Sismo de magnitude 6,6 faz pelo menos 46 mortos
Mundo 3 min. 05.09.2022
Catástrofes naturais

China. Sismo de magnitude 6,6 faz pelo menos 46 mortos

A destruição causada pelo terramoto em Hailuogou, no sudoeste da província chinesa de Sichuan, esta segunda-feira
Catástrofes naturais

China. Sismo de magnitude 6,6 faz pelo menos 46 mortos

A destruição causada pelo terramoto em Hailuogou, no sudoeste da província chinesa de Sichuan, esta segunda-feira
Foto: AFP
Mundo 3 min. 05.09.2022
Catástrofes naturais

China. Sismo de magnitude 6,6 faz pelo menos 46 mortos

AFP
AFP
Segundo a televisão nacional, há também 16 desaparecidos e 50 feridos.

Pelo menos 46 mortos, estradas bloqueadas e casas "gravemente danificadas":  um forte terramoto atingiu esta segunda-feira uma zona montanhosa do sudoeste da China, mobilizando milhares de socorristas, disseram os meios de comunicação estatais.

O tremor foi registado às 12h52 horas locais (04h52 GMT) na província de Sichuan, disse a United States Geological Survey (USGS), o organismo de referência a nível mundial para terramotos.

O epicentro foi localizado a 39 quilómetros do município de Luding, segundo a televisão estatal chinesa CCTV, numa área não muito densamente povoada.

O último balanço provisório dá conta agora de pelo menos 46 vítimas mortais, segundo a televisão nacional, que também menciona 16 desaparecidos e 50 feridos.

A estimativa anterior era de "mais de 30 mortos".

O tremor também foi sentido a cerca de 200 quilómetros do epicentro da capital provincial, Chengdu, cujos 21 milhões de habitantes estão atualmente confinados às suas casas devido a um surto de covid-19.

Foi "relativamente forte", disse à AFP uma residente de Chengdu que não quis dar o seu nome completo.

"Alguns dos meus vizinhos no rés-do-chão disseram que o sentiram muito claramente", acrescentou Chen.

Mas como a cidade está confinada "as pessoas não podem sair dos seus complexos residenciais", sublinhou.

Telecomunicações cortadas em áreas perto do epicentro

 As autoridades não reportaram quaisquer danos na capital provincial. Chengdu tinha prolongado no domingo o confinamento dos seus residentes após a descoberta nos últimos dias de centenas de novos casos de coronavírus.

Um vídeo transmitido pela agência mostrou lustres a balançar do teto e secções de edifícios de betão a cair ao chão.

A CCTV mostrou imagens de bombeiros em trajes cor-de-laranja a limpar pedras caídas numa estrada e um carro azul com um para-brisas esmagado por uma enorme rocha.

Face a um número de mortos que poderia aumentar ainda mais, o presidente  Xi Jinping apelou a que "sejam feitos todos os esforços para ajudar as pessoas afetadas pela catástrofe e minimizar a perda de vidas", informou o China News. 

Perto do epicentro, a cidade de Ya'an falava de "vários graus de danos" nas áreas afetadas.

"As casas foram muito danificadas" e "as telecomunicações foram cortadas" em alguns lugares perto do epicentro, disse a prefeitura vizinha de Garze, onde foram contabilizadas 29 vítimas.

Mais de 1.000 soldados e oficiais do exército foram mobilizados, segundo o Gabinete Sismológico de Sichuan, que transmitiu imagens dos seus engenheiros com computadores portáteis a caminho do local.

Segundo a CCTV, as autoridades locais também enviaram vários milhares de trabalhadores de salvamento, bombeiros, médicos e membros da Polícia Armada Popular - gendarmes responsáveis pela segurança pública e mobilizados durante as catástrofes.

Autoridades enviaram tendas, cobertores e camas dobráveis

As autoridades enviaram milhares de tendas, cobertores e camas dobráveis para as áreas atingidas para ajudar as pessoas cujas casas foram danificadas, informou a CCTV.

Um vídeo divulgado pelo Centro de Rede Sísmica da China mostra rochas a rolar por uma colina no cantão de Luding e a levantar nuvens de poeira, com linhas telefónicas a vacilar devido ao efeito dos tremores.

O Centro relatou várias réplicas menores após o primeiro tremor de terra.

O montanhoso Sichuan é conhecido mundialmente pelas suas reservas de pandas gigantes. A província é regularmente atingida por terramotos.

Em junho, um terramoto de magnitude 6.1 já tinha abalado esta região, deixando pelo menos quatro mortos e dezenas de feridos.

Em maio de 2008, um terramoto de magnitude 7,9 muito forte deixou 87.000 pessoas mortas ou desaparecidas em Sichuan. O desastre foi um choque nacional.

Entre as vítimas encontravam-se milhares de estudantes mortos no colapso de escolas construídas de forma precária. Na altura, a polícia prendeu ativistas que tentavam contar o número exato de crianças que morreram na catástrofe.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas