Escolha as suas informações

China apelida de "irresponsáveis" declarações de Trump contra Pequim
Mundo 25.08.2018 Do nosso arquivo online

China apelida de "irresponsáveis" declarações de Trump contra Pequim

A visita do secretário de Estado Mike Pompeo à Coreia do Norte criou nova troca de acusações entre a China e os EUA

China apelida de "irresponsáveis" declarações de Trump contra Pequim

A visita do secretário de Estado Mike Pompeo à Coreia do Norte criou nova troca de acusações entre a China e os EUA
Foto: AFP
Mundo 25.08.2018 Do nosso arquivo online

China apelida de "irresponsáveis" declarações de Trump contra Pequim

A China considerou hoje “irresponsáveis” as declarações de Donald Trump, que justificou o cancelamento da viagem do seu secretário de Estado Mike Pompeo à Coreia do Norte com a falta de cooperação de Pequim.

"As declarações americanas são falsas e irresponsáveis, estamos profundamente preocupados e  protestamos solenemente contra os Estados Unidos", disse Lu Kang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, citado pela AFP.

O Presidente dos Estados Unidos da América Donald Trump, afirmou sexta-feira ter dado indicações ao secretário de Estado para adiar uma nova visita à Coreia do Norte, devido a progressos insuficientes na desnuclearização.

“Pedi a Pompeo para não ir à Coreia do Norte, nesta altura, porque sinto que não estamos a fazer progressos suficientes no que diz respeito à desnuclearização da Península Coreana”, escreveu Trump na sua conta da rede social  Twitter. Donald Trump acredita que a falta de cooperação chinesa se deve à crescente pressão dos EUA sobre o comércio com a China.

Algumas avaliações independentes sugerem que o regime de Pyongyang tem até aumentado a sua atividade nuclear. Os serviços secretos americanos também detetaram a 31 de julho movimentações suspeitas junto a uma fábrica nos arredores de Pyongyan, onde foi construído o primeiro míssil balístico capaz de atingir os EUA.

A guerra comercial entre as duas maiores economias mundiais começou há cerca de um ano, quando os dois países aumentaram as taxas sobre os produtos importados. No início de agosto, as relações voltaram a enfraquecer com a entrada em vigor de sobretaxas americanas aos produtos importados da China. Em resposta, Pequim aplicou uma sobretaxa idêntica a 545 produtos americanos.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Na rua da grande cidade: Jeans e bourbon
Um “bar de bourbons” abriu recentemente perto do sítio onde vivo. Eu, que não sou apreciador de whisky, presumo ainda assim que os melhores exemplares continuam a vir da Escócia e da Irlanda, e imagino que restringir o bar apenas a whiskies provindos dos EUA seja uma simples jogada de marketing de nicho. Seja como for, a ideia está a resultar, porque o local tem estado bastante concorrido, mas teve muito azar no timing: ainda há pouco apareceu e talvez já vá ter de fechar as portas, porque o produto que vende vai encarecer.