Escolha as suas informações

Cervejeiras belgas trabalham a toda a velocidade. Bares reabrem no dia 8
Mundo 30.04.2021

Cervejeiras belgas trabalham a toda a velocidade. Bares reabrem no dia 8

Cervejeiras belgas trabalham a toda a velocidade. Bares reabrem no dia 8

AFP
Mundo 30.04.2021

Cervejeiras belgas trabalham a toda a velocidade. Bares reabrem no dia 8

AFP
AFP
Parados durante meio ano, apressam-se a produzir cerveja a tempo de reabastecer os bares que reabrem portas no dia 8 de maio.

Falta uma semana para os bares da Bélgica reabrirem portas ao público. Nos bastidores, as cervejeiras fazem o que podem para repor stocks.

Seis meses depois do país ter entrado num segundo confinamento, proprietários de bares e produtores de cerveja estão desejosos de voltar ao negócio.

Confiam que os belgas não perderam o gosto pelas famosas cervejas belgas, apesar da tarefa de encher barris ser imensa. E, com o serviço no interior dos espaços e o distanciamento obrigatório imposto, o tempo escasseia para muitos numa indústria que já foi muito ferida pela pandemia.

"É toda uma máquina que tem de voltar à estrada", explica Lionel Van Der Haegen, diretor da cervejeira Silly, na aldeia belga com o mesmo nome.

Estão a trabalhar muito mas o diretor teme que pelos clientes. "Alguns foram à falência", disse à AFP. "Todos os dias contam. Temos de reabrir o mais depressa possível"

Parar o ciclo da cerveja de pressão em outubro de 2020 foi um exercício logístico importante, conta a AFP. Num período normal, pesados barris de cerveja são levados para as caves e retirados vazios e, por isso, muito mais leves.

Quando os bares foram obrigados a fechar no final de outubro, stocks de cervejas destinados a durar vários meses tiveram de ser devolvidos.

A cultura cervejeira da Bélgica é património reconhecido pela UNESCO e não foi questão em Silly, orgulhosa da sua marca de frescura, armazenar cerveja. As cervejas que não foram bebidas foram destruídas cuidadosamente e agora um novo lote está a ser produzido a pensar no dia 8 de maio e na reabertura da restauração.

A cervejeira de Silly domina esta aldeia de pouco mais de 7 mil pessoas. Em períodos normais, produz 2,5 milhões de litros por ano - das várias categorias.

Enqunto a AFP visitava a fábrica, um agricultura estacionou um trator para recolher uma carga de grãos - o que sobra depois da fermentação - que servem para alimentar o gado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.