Escolha as suas informações

Brexit: Reino Unido lança 'app' para europeus que queiram ficar no país
Mundo 2 min. 30.03.2019

Brexit: Reino Unido lança 'app' para europeus que queiram ficar no país

Brexit: Reino Unido lança 'app' para europeus que queiram ficar no país

Foto: AFP
Mundo 2 min. 30.03.2019

Brexit: Reino Unido lança 'app' para europeus que queiram ficar no país

Saída desordenada do Reino Unido da União Europeia a 12 de abril é "o cenário provável", após o terceiro chumbo do parlamento britânico.

O Governo britânico lançou hoje uma aplicação eletrónica para que os cidadãos da União Europeia que vivam no Reino Unido possam continuar no país depois de a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) ser consumada.

A 'app', chamada 'EU Exit ID Document Check App' [Aplicação de Verificação de Documentos de Identificação sobre a Saída da UE], começa hoje a funcionar em pleno, depois de meses de testes, e através deste sistema os europeus no Reino Unido podem registar-se para não perder o direito a permanecer no país, se e quando for consumado o 'divórcio'. 

Para se registarem na 'app', os estrangeiros europeus devem apresentar um documento de identificação, declarar se têm antecedentes criminais e entregar uma fotografia, tudo de maneira digital e dentro da 'app'.

Segundo a secretária de Estado da Imigração inglesa, Caroline Nokes, o lançamento da nova plataforma "significa que os 3,6 milhões de cidadãos europeus residentes no Reino Unido", que classificou de "amigos e família", podem ficar "independentemente da relação com a UE".

"A minha mensagem aos europeus é que este é um processo simples e direto e algumas das experiências das pessoas que ouvi dão conta de que os cidadãos recebem a confirmação do seu estado numa questão de horas", acrescentou a governante.

Do outro lado da 'app' estão mais 1.500 funcionários governamentais cuja função é verificar as informações e conferir o estatuto consoante os anos de residência no país e as informações prestadas. Os cidadãos da UE, assim como os da Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça devem completar o processo até 30 de junho de 2021 ou, se houver retirada sem acordo, até 31 de dezembro de 2020.

A iniciativa britânica surge num momento de incerteza relativamente ao futuro da relação política entre o Reino Unido e a União Europeia. Na sexta-feira, os deputados britânicos rejeitaram por 58 votos, agora pela terceira vez, o Acordo de Saída do Reino Unido da UE, abrindo as portas a um 'Brexit' sem acordo em 12 de abril.

O Acordo de Saída, de 585 páginas, estabelece os termos da saída do Reino Unido da UE para que se faça de forma ordenada e estabelece um quadro jurídico quando os Tratados e a legislação da UE deixarem de se aplicar ao Reino Unido.

O documento já tinha sido chumbado a 12 de março por 391 votos contra e 242 votos a favor, uma diferença de 149 votos, repetindo o chumbo de janeiro por 432 votos contra e 202 a favor, uma margem histórica de 230 votos.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas