Escolha as suas informações

Brexit prejudica acordo de paz da Irlanda
Mundo 03.11.2018 Do nosso arquivo online

Brexit prejudica acordo de paz da Irlanda

Brexit prejudica acordo de paz da Irlanda

Foto: DPA
Mundo 03.11.2018 Do nosso arquivo online

Brexit prejudica acordo de paz da Irlanda

Quem o afirma é o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar.

O primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, alertou hoje que o "Brexit", processo de saída do Reino Unido da União Europeia, está a “desgastar" a relação entre os dois países e prejudica o acordo de paz de 1998.

Em declarações à RTE Radio One, o "Taoiseach" disse que "qualquer coisa que separe as duas comunidades da Irlanda do Norte (unionistas e republicanos) prejudica o acordo e qualquer coisa que separe o Reino Unido e a Irlanda prejudica esse relacionamento”.

O acordo de paz assinado em 1998 pelos partidos da Irlanda do Norte e os governos de Londres e Dublin pôs fim a três décadas de conflito naquele território britânico, lançando as bases do atual sistema de Governo autónomo de poder partilhado e regulou as relações entre as partes.

Varadkar foi entrevistado na rádio irlandesa depois que o ministro do Reino Unido para o “Brexit”, Dominic Raab, visitar a Irlanda do Norte, onde os partidos pediram uma solução consensual para a questão da fronteira na ilha.

A necessidade de manter uma fronteira aberta entre o norte e o sul da ilha da Irlanda, essencial para o processo de paz, está a dificultar um acordo entre o Reino Unido e a UE.

Raab disse na quarta-feira que Londres e Bruxelas chegaram a um consenso global sobre o plano de contingência para a fronteira, que seria aplicado como solução de último recurso na ausência de um acordo bilateral final, e previu que ambas as partes possam fechar as negociações no próximo dia 21 de novembro.

O ministro disse que o seu governo e a UE concordam "em princípio" com um plano de contingência que inclua uma união aduaneira entre a UE e "todo o Reino Unido", e não apenas a Irlanda do Norte, proposta originalmente por Bruxelas e que foi descartada pelo Reino Unido.

Raab admitiu, no entanto, que ainda há questões para resolver quanto ao plano, o que deverá acontecer nas próximas semanas, para que haja um acordo até dezembro.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Na semana passada, o Reino Unido e a União Europeia chegaram a acordo sobre os termos do divórcio. Mas nada é dado como certo. Além de Irlanda, Gibraltar e o período de transição estão a dar que falar. São precisas mais negociações.
Zum Themendienst-Bericht von Manuel Meyer vom 22. August 2017: Das Euro-Zeichen wird wohl bleiben, die EU-Mitgliedschaft nicht. Was mit Gibraltars Tourismus nach dem Brexit passiert, ist eine spannende Frage. (Archivbild vom 26.6.2017/Nur zur redaktionellen Verwendung durch Themendienst-Bezieher.) Foto: Manuel Meyer/dpa-tmn
A União Europeia (UE) apresentou um esboço do acordo de divórcio para o Brexit que o Reino Unido considera inaceitável. As negociações estão assim, mais uma vez num impasse.