Escolha as suas informações

Boris Johnson substituído por escultura de gelo durante debate
Mundo 29.11.2019

Boris Johnson substituído por escultura de gelo durante debate

Boris Johnson substituído por escultura de gelo durante debate

Mundo 29.11.2019

Boris Johnson substituído por escultura de gelo durante debate

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Boris Johnson recusou-se a aparecer num debate eleitoral televisivo centrado nas alterações climáticas. Acabou por ser "representado" por uma escultura de gelo a pingar.

O tema em cima da mesa do debate do Canal 4 eram as alterações climáticas. Boris Johnson decidiu não compareceu mas a sua presença foi devidamente assinalada... com uma escultura de gelo. 

 O primeiro-ministro foi criticado por líderes partidários por se recusar a aparecer num debate eleitoral centrado num assunto que tem dominado a atualidade mundial.  A recusa de Johnson em aparecer no debate deu mais combustível às acusações de que ele está evitar aparecer na imprensa durante a campanha. 

Nigel Farage, o líder do Partido Brexit, também recusou o convite por achar que o "Brexit é o tema central a ser discutido". 

Ambos foram substituídos no debate por duas esculturas de gelo com os logótipos dos seus partidos. O Canal 4 disse que o gesto se destinava a "representar a emergência no planeta Terra". 

O Partido Conservador do Primeiro-Ministro não achou piada à brincadeira e entrou em choque com a emissora britânica. 

No vídeo abaixo, é possível ver as estátuas nos lugares dos nomes ausentes, bem como o líder trabalhista Jeremy Corbyn, o democrata liberal Jo Swinson e os líderes dos outros principais partidos do Reino Unido apresentarem os seus planos para enfrentar a crise climática antes da votação do próximo mês. 

O partido do primeiro-ministro disse que a sua oferta de ter o ministro Michael Gove a substituir o Johnson foi rejeitada pelo Canal 4, reclamando que a decisão "procura efectivamente privar o Partido Conservador de qualquer representação e participação no debate do Canal 4".  A rede de comunicação justificou-se, afirmando que o evento era apenas para líderes partidários.

O evento teve lugar no dia em que os cientistas advertiram que a Terra se encaminha para um "ponto de viragem" e horas depois de o Parlamento Europeu ter votado a favor da declaração de emergência climática. 

O Reino Unido foi o primeiro país a fazer essa declaração em maio, depois de o Partido Trabalhista de Corbyn ter dado um impulso bem sucedido nesse sentido. Corbyn anunciou anteriormente um plano para plantar 2 bilhões de novas árvores até 2040. 

Ana Patrícia Cardoso 



Notícias relacionadas