Escolha as suas informações

Boris Johnson mentiu sobre o Brexit? Jeremy Corbyn não tem dúvidas
Mundo 06.12.2019 Do nosso arquivo online

Boris Johnson mentiu sobre o Brexit? Jeremy Corbyn não tem dúvidas

Boris Johnson mentiu sobre o Brexit? Jeremy Corbyn não tem dúvidas

AFP
Mundo 06.12.2019 Do nosso arquivo online

Boris Johnson mentiu sobre o Brexit? Jeremy Corbyn não tem dúvidas

Líder dos trabalhistas convocou a imprensa de emergência para acusar o primeiro-ministro conservador de mentir sobre o acordo do Brexit negociado com a União Europeia. Johnson diz que "não faz sentido nenhum".

Afinal sempre há novas tarifas alfandegárias no Mar da Irlanda no pós-Brexit. Jeremy Corbyn convocou a imprensa para mostrar as provas e acusar Boris Johnson de mentir aos britânicos sobre o acordo negociado em Bruxelas. 

"Está lá preto no branco. Diz que há taxas e declarações alfandeg´rias entre a Irlanda do Norte e a Grã-Bertenha", garantiu com as provas na mão. "Às vezes parece que estamos no reino do Alice no País das Maravilhas", ironizou. 

"O que temos aqui é um relatório confidencial do próprio governo de Johnson, marcado oficial, sensível, que expõe as falsidades que Boris Johnson vem apresentando", sublinhou o líder dos trabalhistas a menos de uma semana das eleições.

Em plena campanha eleitoral, o terceiro primeiro-ministro do Brexit desmente. Questionado pela ITV, Boris Johnson diz que a acusação "não faz sentido nenhum".  

Nos documentos fica claro que com a saída do Reino Unido da União Europeia é impossível descartar a implementação não só das taxas como dos controles alfandegários. São mais de 15 páginas. Todas as mercadorias que transitem entre a Irlanda do Norte e a Grã-Bertanha vão ser inspecionadas e sujeitas a imposto.  

"Esta é uma evidência dura e fria que mostra categoricamente o impacto que um negócio prejudicial do Brexit teria em grandes partes do nosso país", acusa Corbyn que acusa Johnson de "evitar o escrutínio". 

Para o líder dos trabalhistas, depois da Irlanda também a Escócia e o País de Gales vão sofrer "consequências desastrosas". 

Já na semana passada, Corbyn acusou o primeiro-ministro britânico de estar a negociar a venda do sistema público de saúde a empresas norte-americanas. O país é chamado às urnas no próximo dia 12 de dezembro. 


Notícias relacionadas