Escolha as suas informações

Boris Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia
Mundo 08.05.2021

Boris Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia

Boris Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia

Foto: Tayfun Salci/ZUMA Wire/dpa
Mundo 08.05.2021

Boris Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia

Lusa
Lusa
O partido SNP, liderado pela primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, e que promoveu o último referendo sobre a independência, já conquistou nas eleições parlamentares de Edimburgo, realizadas na quinta-feira, 39 dos 48 lugares apurados até agora.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, recusou hoje qualquer possibilidade de realizar um novo referendo de independência na Escócia, mesmo que o Partido Nacional Escocês (SNP) obtenha maioria absoluta no parlamento regional.

“Acho que um referendo no contexto atual é irresponsável e temerário”, disse o primeiro-ministro em entrevista ao jornal “The Telegraph”, quando questionado sobre se aceitaria uma nova consulta depois da realizada em 2014, na qual os escoceses votaram pela permanência no Reino Unido.

O SNP, liderado pela primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, mantém a liderança nas eleições parlamentares de Edimburgo (regionais), realizadas na quinta-feira, tendo ganho 39 dos 48 lugares apurados até agora.

De acordo com a contagem, o SNP não perdeu nenhum lugar e ganhou mais três - dois que estavam anteriormente atribuídos aos conservadores e um aos trabalhistas -, embora, segundo a agência de notícias espanhola, Efe, analistas considerem improvável que chegue à maioria absoluta, algo que conseguiria com o apoio dos Verdes.

Johnson reconheceu seguir “com atenção" os resultados na Escócia, mas acrescentou que, em sua opinião, o SNP se afastou da ideia de um novo referendo.

"Não creio que este seja o momento de ter mais disputas constitucionais, é falar sobre dilacerar o nosso país, quando o que as pessoas querem é consertar a nossa economia e reconstruir juntos", disse ao "Telegraph".

Recusando adiantar como responderia se Sturgeon decidisse promover uma consulta unilateral, afirmou: “Essa não é a questão agora. Não acho que seja isso que estes tempos pedem."

Apesar das palavras do chefe do Governo britânico, o "número dois" do SNP, John Swinney, disse hoje à BBC que tudo indica que o seu partido será o principal em Holyrood (sede do poder legislativo regional) e que deverão aguardar-se as suas decisões.

"Johnson não é o senhor feudal da Escócia. Ele é o primeiro-ministro do Reino Unido. E se o parlamento escocês for eleito com uma maioria de parlamentares comprometidos com o referendo, isso deve ser respeitado", afirmou.

A contagem dos votos para a composição do parlamento com 129 lugares prossegue durante o dia de hoje.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que lidera o processo de saída do Reino Unido da União Europeia rejeitou esta terça-feira formalmente o pedido do governo escocês para a realização de um novo referendo sobre a independência da Escócia este ano.