Escolha as suas informações

Bomba de 250 kg obriga à evacuação de Trier
Mundo 2 min. 18.09.2019

Bomba de 250 kg obriga à evacuação de Trier

Bomba de 250 kg obriga à evacuação de Trier

Photo d'illustration: archives LW
Mundo 2 min. 18.09.2019

Bomba de 250 kg obriga à evacuação de Trier

Cerca de 800 pessoas foram retiradas de casa. O explosivo da Segunda Guerra Mundial foi encontrado em Trier-Euren, no sudoeste da cidade alemã, esta terça-feira. Já foi desativado.

A bomba com 250 quilos de origem britânica, equipada com um detonador, foi detetada a uma profundidade de 1,20 metros durante a preparação do terreno para a construção do novo pavilhão desportivo da cidade. A descoberta foi anunciada no Twitter pela autarquia de Trier que optou por evacuar a àrea para retirar e desativar o engenho explosivo da Segunda Guerra Mundial.  

No local mantém-se para já o perímetro de segurança. Além do aparato policial, o serviço de controlo de munições foi ativado esta terça-feira à noite. De acordo com os especialistas, a bomba não representava qualquer perigo real para a população, ainda assim, por questões de segurança, as autoridades procederam à evacuação da área.

Milhares de bombas adormecidas na Alemanha

Mais de sete décadas depois, as estimativas oficiais estimam que há milhares de bombas adormecidas por encontrar só na Alemanha. Através da análise de centenas de documentos militares, os especialistas asseguram que, durante a Segunda Guerra Mundial, caíram 2,7 milhões de explosivos em território germânico. Entre minas, granadas de mão e peças de artilharia, por ano são descobertas na Alemanha quase duas mil toneladas de material de guerra. 

Certo é que os incidentes com as bombas escondidas no subsolo continuam a repetir-se. Só nos últimos 19 anos, 11 peritos do serviço de minas e armadilhas alemão, o Kampfmittelbeseitigungsdienst ou KMDB, morreram em serviço. Recentemente, em setembro de 2017, Frankfurt viu-se obrigada a retirar 60 mil pessoas da cidade depois da descoberta de outra bomba de grandes dimensões. Numa escala menor,  Düsseldorf e Munique também já passaram pelo mesmo. Há nove anos, Dortmund acordou em sobressalto. 45 mil pessoas foram forçadas a abandonar as próprias casas durante a operação de desmantelamento de uma bomba, nos arredores, em Koblenz.


Explosão em Waldhof foi com engenho da II Guerra Mundial
Dois suboficiais morreram hoje numa explosão no paiol de Waldhof. O ministro François Bausch diz tratar-se do "dia mais triste" da sua carreira.

Em Göttingen, as memórias de junho de 2010 continuam vivas. Três elementos das forças de segurança morreram e pelo menos seis pessoas sofreram ferimentos graves na explosão de um explosivo encontrado no preciso momento em que se procedia à desativação da primeira bomba encontrada no local. 

Situações destas não acontecem apenas na Alemanha. Em fevereiro deste ano, dois militares do Luxemburgo não resistiram ao rebentamento de um explosivo com 48 quilos na base militar de Waldhof. Outros dois elementos do Serviço de Desminagem das Forças Armadas luxemburguesas ficaram feridos, um deles com gravidade. Tudo aconteceu na preparação do transporte da bomba para a Bélgica, onde seria neutralizada, numa operação que tinha sido classificada como "segura". 

 

 



Notícias relacionadas