Escolha as suas informações

Bloqueio à Venezuela. UE prolonga sanções por mais um ano
Mundo 11.11.2019

Bloqueio à Venezuela. UE prolonga sanções por mais um ano

Bloqueio à Venezuela. UE prolonga sanções por mais um ano

dpa
Mundo 11.11.2019

Bloqueio à Venezuela. UE prolonga sanções por mais um ano

Bruxelas invoca direitos humanos para prorrogar o pacote de sanções.

Até 14 de novembro de 2020, a União Europeia (UE) vai manter a Venezuela debaixo do pacote de sanções imposto há um ano por considerar que a permanência do presidente eleito com 67% dos votos, Nicolás Maduro, no Palácio de Miraflores põe em causa a democracia e o respeito pelos direitos humanos. 

A decisão teve a luz verde dos vinte e oito estados membros. Foi tomada pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e apoiada posteriormente pelos embaixadores a 30 de outubro. Aplica-se a partir desta segunda-feira. 

Pressionada pelo governo norte-americano de Donald Trump, a UE recusou no entanto impor sanções económicas àquele país da América Latina por considerar que o povo venezuelano seria o mais afetado. Mantém portanto o embargo à compra de armamento, assim como a proibição de viajar e o congelamento dos bens de 25 pessoas que ocupam cargos oficiais e militares. 

Além do próprio Nicolás Maduro e da mulher, Cilia Flores, as sanções aplicam-se ao Presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, aos vice-Presidentes Tareck El Aissami e Delcy Rodríguez, ao procurador Tarek William Saab e ao Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Maikel Moreno. Estende-se ainda a vários agentes do serviço de inteligência bolivariano indiciados pela morte do capitão da marinha Rafael Acosta em junho.