Escolha as suas informações

Biden pronto para encontro com Putin e evitar guerra
Mundo 20.02.2022 Do nosso arquivo online
Ucrânia

Biden pronto para encontro com Putin e evitar guerra

Ucrânia

Biden pronto para encontro com Putin e evitar guerra

Foto: AFP
Mundo 20.02.2022 Do nosso arquivo online
Ucrânia

Biden pronto para encontro com Putin e evitar guerra

Lusa
Lusa
Depois de, nos últimos dias, ter estabelecido contacto com os vários líderes europeus, “o Presidente Biden está pronto para se encontrar com o Presidente Putin a qualquer momento e em qualquer formato”, afirmou o secretário de Estado norte-americano Antony Blinken.

O Presidente dos EUA, Joe Biden, está pronto a encontrar-se com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, “a qualquer momento e em qualquer formato”, se isso evitar uma guerra na Ucrânia, garantiu hoje o chefe da diplomacia norte-americana.


Zelensky pede cessar-fogo imediato no leste ucraniano após falar com Macron
O pedido do chefe de Estado ucraniano foi feito depois do presidente francês Emmanuel Macron e do presidente russo Vladimir Putin, que também falaram hoje, terem concordado em fazer todos os possíveis para conseguir um cessar-fogo no leste da Ucrânia.

Depois de, nos últimos dias, ter estabelecido contacto com os vários líderes europeus, “o Presidente Biden está pronto para se encontrar com o Presidente Putin a qualquer momento e em qualquer formato”, se isso evitar uma guerra na Ucrânia, afirmou Antony Blinken, na CBS.

O secretário de Estado norte-americano reiterou ainda que a Rússia está “à beira” de invadir a Ucrânia.

Já em declarações à CNN, Blinken vincou que a situação é séria e que o facto de as tropas russas continuarem em exercícios militares na Bielorrússia também reforçou a possibilidade da invasão estar prestes a acontecer.

Os exércitos russo e bielorrusso lançaram no dia 10 de fevereiro manobras militares conjuntas na Bielorrússia, não tendo sido especificado o número de soldados e equipamentos que participariam nos exercícios, mas os serviços de informações ocidentais afirmaram no início das manobras que 30.000 soldados russos estavam destacados na Bielorrússia.

Kiev condenou estes exercícios militares, considerando-os uma forma de “pressão psicológica” por parte da Rússia, mas Moscovo defendeu a sua legitimidade, lembrando que Rússia e Bielorrússia estão sujeitos a "ameaças sem precedentes", tendo ainda garantido que as unidades russas voltariam às suas localizações permanentes no final dos exercícios.


Macron tenta "último esforço possível e necessário" para evitar conflito na Ucrânia
O presidente francês esteve ao telefone com o presidente russo, Vladimir Putin, esta manhã, mais de uma hora e de seguida conversou, também por telefone, com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

O Ocidente e a Rússia vivem atualmente um momento de forte tensão, com o regime de Moscovo a ser acusado de concentrar pelo menos 150.000 soldados nas fronteiras da Ucrânia, numa aparente preparação para uma potencial invasão do país vizinho.

Moscovo desmente qualquer intenção bélica e afirma ter retirado parte do contingente da zona.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Ocidente e a Rússia vivem um momento de forte tensão, com Moscovo a ser acusado de concentrar pelo menos 150.000 soldados nas fronteiras da Ucrânia. Já o Governo russo desmente qualquer intenção bélica e afirma ter retirado parte do contingente da zona.
A Presidência russa (Kremlin) confirmou esta terça-feira, 15, o início da retirada de algumas das suas tropas de perto das fronteiras da Ucrânia, denunciando a "histeria ocidental" sobre uma suposta invasão iminente do país pela Rússia.