Escolha as suas informações

Berlim abre exceções à regra "apenas vacinados"
Mundo 2 min. 08.10.2021
Covid-19

Berlim abre exceções à regra "apenas vacinados"

Covid-19

Berlim abre exceções à regra "apenas vacinados"

Foto:DR
Mundo 2 min. 08.10.2021
Covid-19

Berlim abre exceções à regra "apenas vacinados"

Como quase todos os outros estados alemães, Berlim permite que os proprietários de bares, restaurantes, cinemas e vários outros recintos fechados operem uma política rigorosa de entrada '2G' que exclui as pessoas que não têm qualquer imunidade à doença.

O Senado de Berlim votou alterações radicais às suas regras covid-19, incluindo novas exceções que permitirão que certos grupos de pessoas não vacinadas entrem em locais que tenham optado por uma regra de "apenas vacinação". 

A partir de domingo, 10 de outubro, as pessoas que não possam ser vacinadas por razões médicas serão autorizadas a entrar nos chamados locais "2G", que normalmente só estão abertos àqueles que são vacinados (geimpft) ou recuperados (genesen). 

Juntamente com a abolição dos testes rápidos gratuitos a 11 de outubro, a regra destina-se a encorajar as pessoas a serem vacinadas o mais rapidamente possível. Quem não consegue ser vacinado,  tais como crianças pequenas e pessoas com imunidade fraca, não se destinam a ser prejudicados pelas regras.

Embora os senadores tenham aberto excepções para menores não vacinados, a ministra da Saúde Dilek Kalayci (SPD) tinha dito inicialmente que as pessoas que não pudessem ser vacinadas por razões médicas continuariam a não ter acesso aos locais "2G". Segundo a ministra, uma vez que as pessoas vacinadas e recuperadas ainda podem transportar covid, estes locais representam um risco particularmente elevado de infecção para as pessoas que podem ter vulnerabilidades médicas. 


Alemanha. Escolas e infantários enfrentam um maior número de surtos de covid-19
De acordo com as estatísticas atuais, uma média de cinco pessoas por surto são infectadas nos infantários e quatro nas escolas.

Na terça-feira, no entanto, os senadores de Berlim votaram numa reviravolta significativa para permitir que aqueles que não estão vacinados de livre vontade possam entrar nestes locais. A partir de domingo, as pessoas que não podem receber as vacinas por razões médicas terão de trazer uma carta do médico de família como prova de que não podem ser vacinadas, juntamente com um teste PCR negativo, para entrar em eventos e locais "2G". No entanto, terão de pagar eles próprios o teste PCR, confirmou o Senado. 

Para além de esculpir grupos de pessoas não vacinadas, Berlim também votou na terça-feira para alargar o leque de locais que podem optar por 2G. A partir de domingo, hotéis, alugueres de férias, museus, galerias, bibliotecas, arquivos e memoriais irão juntar-se a bares, restaurantes e cinemas para poderem restringir a entrada aos vacinados e recuperados. A 2G obrigatória permanecerá em vigor para saunas, salões a vapor, bordéis e clubes, enquanto que as lojas não essenciais terão de se manter com "3G", o que significa que as pessoas podem entrar com um teste negativo em vez de provas de vacinação ou recuperação. 

Outra grande mudança nas últimas semanas é que o folheto amarelo de vacinas já não é suficiente como prova de vacinação. Em vez disso, as pessoas precisarão do seu passe de saúde digital na aplicação CovPass ou de uma cópia impressa do seu código QR de vacina personalizado, que pode ser obtido numa farmácia local. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.