Escolha as suas informações

Bélgica: todos na escola. As máscaras? Depende
Mundo 15.09.2021
Rentrée escolar

Bélgica: todos na escola. As máscaras? Depende

Rentrée escolar

Bélgica: todos na escola. As máscaras? Depende

Foto: Matthias Balk/dpa
Mundo 15.09.2021
Rentrée escolar

Bélgica: todos na escola. As máscaras? Depende

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
O uso de máscara dentro das escolas é relaxado na Valónia e na Flandres, mas na região de Bruxelas deverá manter-se como no ano anterior devido ao facto de a taxa de infeções e de hospitalizações ser mais elevada na capital belga.

Em toda a Bélgica no ano letivo 2021/22, o ensino será 100% presencial. Desde 1 de setembro, os alunos puderam retomar os seus lugares nas salas de aulas em todos os níveis de ensino e em todas as regiões. Mas sendo um país politicamente complexo, também a organização do ano escolar segue orientações diferentes. No geral, as regras sanitárias mantêm-se – distanciação, etiqueta de higiene, ventilação dos espaços - podendo ser diferenciadas de acordo com a evolução da situação epidemiológica em cada região.


Alunos regressam às escolas com a ameaça da quarta vaga
Cerca de 108 mil alunos regressam hoje às salas de aulas, no Luxemburgo. Depois de dois anos de pandemia, será um regresso à “vida normal”?

O uso de máscara dentro das escolas é relaxado na Valónia e na Flandres, mas na região de Bruxelas deverá manter-se como no ano anterior devido ao facto de a taxa de infeções e de hospitalizações ser mais elevada na capital belga, ao passo que a taxa de vacinação é mais baixa. Por exemplo, na Valónia, no ensino secundário, as máscaras são usadas pelos alunos e pelos professores quando circulam, mas dentro das salas de aulas quando todos já estão sentados não são obrigatórias. Em Bruxelas, os alunos e professores vão continuar a usar máscara dentro das salas de aulas, o tempo todo.

Na rentrée, a mensagem da ministra do Ensino superior, Valérie Glatigny, é eufórica: «Digo aos estudantes para aproveitarem ao máximo todas as novas oportunidades que lhes são oferecidas”, disse ao jornal Le Soir, ontem, dia do arranque do ano letivo para o ensino universitário. A ministra  apelou, no entanto, aos jovens para que se vacinem para que este ganho de um ano letivo tranquilo nas salas de aula possa ser mantido até ao fim.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas