Escolha as suas informações

Soldado belga de extrema-direita procurado pela polícia terá sido encontrado morto este domingo
Mundo 2 min. 20.06.2021
Bélgica

Soldado belga de extrema-direita procurado pela polícia terá sido encontrado morto este domingo

Bélgica

Soldado belga de extrema-direita procurado pela polícia terá sido encontrado morto este domingo

Foto: AFP
Mundo 2 min. 20.06.2021
Bélgica

Soldado belga de extrema-direita procurado pela polícia terá sido encontrado morto este domingo

Jurgen Conings era procurado pelas autoridades desde 17 de maio, que lançaram, desde então, uma caça ao paradeiro do soldado suspeito de terrorismo.

As autoridades belgas encontraram, este domingo, um corpo, no leste da Bélgica, que acreditam ser o do soldado de extrema-direita, Jurgen Conings, procurado há mais de um mês.

A informação é avançada pelo Ministério Público, que, segundo a AFP, refere que as primeiras conclusões apontam para que o corpo encontrado seja o do soldado, que se encontrava fugido desde maio, sendo alvo de um mandado de captura internacional, pela Interpol, e que terá cometido suicídio com arma de fogo.


Armado, soldado belga pode ter passado as fronteiras da Bélgica e está a ser procurado pela Interpol
Jurgen Conings é "perigoso" e pode ter escapado da Bélgica, acredita a polícia. A caça ao homem está a ser alargada a nível internacional. Há uma semana que está em fuga.

"Segundo os primeiros elementos da investigação, será Jurgen  Conings , desaparecido desde 17 de Maio de 2021", afirma o Ministério Público belga em comunicado, acrescentando que a informação terá de ser confirmada pelos especialistas forenses. 

Considerado perigoso, o soldado de 46 anos, constava da lista da organização belga de análise da ameaça terrorista (OCAM) e era suspeito de querer atacar o Estado belga e um virologista conhecido do país, Marc Van Ranst . 

Conings foi colocado na lista da OCAM em fevereiro passado, mas nem o Ministério da Defesa nem as autoridades de inteligência militar foram informadas da sua inclusão.  

Apesar de as suas posições extremistas serem conhecidas e de ter sido alvo de queixa, pelo Estado Maior, o soldado continuou a ter acesso a armas e munições no seu quartel. Quatro lança-foguetes antitanque e munições foram encontrados no seu veículo que deixou abandonado e as autoridades consideraram que Jurgen Conings teria lavado outras armas, mais pequenas, durante fuga. 

Segundo cartas encontradas por investigadores, Conings parecia determinado a atacar funcionários do Governo e o virologista belga Marc Van Ranst, um proeminente perito na pandemia do coronavírus. Desde essa altura que Van Ranst e a família foram colocados sob proteção policial, num local não revelado, tendo sido pedido a um juiz de instrução que investigasse "a tentativa de homicídio num contexto terrorista"  

O corpo do soldado foi descoberto por pessoas que caminhavam na floresta do município de Dilsen-Stockem, numa área onde tinham sido efetuadas várias buscas após a descoberta do seu veículo a 18 de maio, no dia seguinte à sua fuga. 


Bélgica. 11 soldados perigosos deixam de ter acesso a armas, após fuga de Jurgen Conings
Estes militares estão ligados a grupos extremistas violentos e vão deixar de trabalhar com armas, anunciou a ministra da Defesa belga. Jurgen Conings que continua em fuga e armado também já estava identificado.

Desde a fuga de Conings, cerca de uma dezena de militares foram retirados de depósitos e locais sensíveis devido às suas posições extremistas e o Governo belga comprometeu-se a reforçar as regras de acesso às armas, tendo sido lançadas várias investigações internas. 

O apoio manifestado por alguns militares e ex-militares, nas redes sociais, ao soldado, motivou também preocupação e reprovação no Governo, com a  ministro da Defesa belga, Ludivine Dedonder, a considerar que esse apoio estava "a prejudicar a reputação e a honra dos 25.000 homens e mulheres que compõem o serviço de Defesa".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas