Escolha as suas informações

Liége investiga se houve "homicídio involuntário" nas cheias que mataram 37 pessoas
Mundo 28.07.2021
Bélgica

Liége investiga se houve "homicídio involuntário" nas cheias que mataram 37 pessoas

Bélgica

Liége investiga se houve "homicídio involuntário" nas cheias que mataram 37 pessoas

AFP
Mundo 28.07.2021
Bélgica

Liége investiga se houve "homicídio involuntário" nas cheias que mataram 37 pessoas

O inquérito aberto pelo Ministério Público pretende apurar se houve negligências ou falhas graves humanas na gestão da intempérie que conduziram às inundações e as consequentes mortes.

O Ministério Público de Liège anunciou esta quarta feira que abriu uma investigação sobre as inundações nesta província belga que causaram a morte de 37 residentes. O inquérito pretende apurar se houve responsabilidades humanas na gestão da situação que antecedeu às cheias e quem foram os responsáveis, anunciou o Ministério Público desta cidade em comunicado, citado pela imprensa.

Um juiz de instrução de Liège será responsável pelo processo de  identificação de possíveis responsáveis por “homicídio involuntário devido a falta de previsão ou precaução”, que resultou nas inundações mortais.


Conheça as imagens da devastação na Bélgica
Depois de mais uma noite de tempestade, do sul da Bélgica chegam imagens de devastação.

O Ministério Público realça que o procurador do rei tomou conhecimento de diferentes tomadas de posição pública relativas à “sequência de acontecimentos que precederam as inundações”, escrevem a RTL, o RTBF, e a imprensa belga, citando o comunicado.

A abertura desta investigação "não é de forma alguma a expressão de qualquer opinião sobre a existência de possíveis responsabilidades, mas resulta do desejo de garantir a serenidade, objetividade e independência com que a busca da verdade pode ser levada a cabo, respeitando a memória das vítimas e dos seus familiares", disse Damien Leboutte, Procurador da Divisão do Ministério Público em Liège, citado igualmente pelo La Libre. 

A decisão de apurar responsabilidades nestas graves inundações foi tomada em conjunto pelo Procurador Geral de Liège e pelo Procurador do Rei de Euren.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.