Escolha as suas informações

Atentado em Cabul. Novo balanço aponta para 13 soldados e mais de 90 afegãos mortos
Mundo 3 min. 27.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

Atentado em Cabul. Novo balanço aponta para 13 soldados e mais de 90 afegãos mortos

Afeganistão

Atentado em Cabul. Novo balanço aponta para 13 soldados e mais de 90 afegãos mortos

Foto: AFP
Mundo 3 min. 27.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

Atentado em Cabul. Novo balanço aponta para 13 soldados e mais de 90 afegãos mortos

Os atentados de ontem, junto ao aeroporto, fizeram também mais de 150 feridos.

O número de mortos provocado pelos atentados de ontem, junto ao aeroporto de Cabul, subiu para mais de 100. 

Segundo a CNN, que cita o Ministério da Saúde Púbica do Afeganistão, mais de 90 afegãos morreram nos ataques suicidas, que fizeram também mais de 150 feridos. No entanto, uma fonte oficial, citada pela agência de notícias espanhola EFE, que pediu para não ser identificada, avançou com o número de 95 mortos mas escusou-se a dar outros pormenores.

Às vítimas afegãs, sobretudo civis, juntam-se 13 soldados americanos mortos e 18 feridos, nos mesmos ataques, segundo a mais recente atualização das autoridades dos Estados Unidos.

O duplo atentado bombista, que terá sido seguido de um ataque armado, que ocorreu esta quinta-feira à tarde foi reivindicado pelo ramo afegão do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), que no Afeganistão é considerado inimigo dos talibãs. 


Atentado em Cabul. Pelo menos 60 afegãos e 12 soldados norte-americanos mortos
O número de mortes como resultado da explosão ocorrida esta tarde junto ao aeroporto de Cabul, no Afeganistão, não pára de aumentar.

Num comunicado divulgado pela sua agência de propaganda, Amaq, o grupo Estado Islâmico da Província de Khorasan (ISKP, na sigla em inglês) afirma que um dos seus combatentes franqueou “todas as fortificações de segurança” e se colocou a menos de “cinco metros de militares norte-americanos”, tendo então detonado o seu cinto de explosivos.

O comunicado só menciona um bombista suicida e apenas uma bomba. No entanto, o Pentágono reportou a ocorrência de dois atentados-suicida seguidos de um tiroteio, advertindo ainda para a existência de “uma série de ameaças ativas” contra o aeroporto de Cabul, que vão de um possível ataque com foguetes a um atentado com um veículo armadilhado. 

Além das duas explosões junto ao aeroporto e perto de um hotel nas imediações do local, testemunhos em Cabul relataram ter ouvido uma terceira explosão em Cabul, perto da meia-noite de hoje (hora local). Contudo, tratou-se da destruição de material pelos militares dos EUA no aeroporto, disse o porta-voz dos talibã, e não de um terceiro atentado.

O Presidente dos EUA, Joe Biden, prometeu "caçar e fazer pagar" os autores dos ataques junto ao aeroporto da capital.


Aliados pedem a cidadãos que saiam do aeroporto de Cabul devido a "ameaças terroristas"
Estes avisos surgiram depois de o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, ter dito que os rebeldes talibãs se tinham comprometido a deixar partir cidadãos dos Estados Unidos e afegãos em risco e ainda no país após 31 de agosto.

OS EUA mantêm a intenção de retirar todos os cidadãos norte-americanos e aliados afegãos até à próxima terça-feira, 31 de agosto, mas o Presidente norte-americano acrescenta que a intenção de ajudar estes cidadãos a sair do país para lá da data mantêm-se , e que haverá maneira de os ajudar a abandonar o Afeganistão.

Outros países já anunciaram que vão dar por terminadas as suas operações de evacuação do território Afegão. A Bélgica e a França deram por terminadas esta semana as suas operações de evacuação e ontem a Austrália e a Nova Zelândia anunciaram o mesmo. Reino Unido, Alemanha, Espanha e Itália também anunciaram o fim das suas operações de evacuação.

As forças ocidentais no Afeganistão já anteviam este tipo de ataques e tinham pedido esta semana aos cidadãos, que continuavam a dirigir-se aos milhares para o aeroporto de Cabul, para saírem daquela zona. 

Os avisos para que as pessoas adiassem as suas deslocações para o aeroporto, com vista a saírem do país, surgiram depois de o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, ter dito que os rebeldes talibãs se tinham comprometido a deixar partir cidadãos dos Estados Unidos e afegãos em risco e ainda no país após 31 de agosto.  Uma garantia dada também à Alemanha, disse o diplomata alemão Markus Potzel.

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A reunião foi convocada pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, na sequência do ataque perpetrado pelo ramo afegão do grupo ‘jihiadista’ Estado Islâmico na passada quinta-feira em Cabul, que provocou mais de 150 mortos e centenas de feridos.