Escolha as suas informações

Ataques no Sri Lanka. Mortos três dos quatro filhos de milionário dinamarquês Povlsen

Ataques no Sri Lanka. Mortos três dos quatro filhos de milionário dinamarquês Povlsen

Foto: AFP
Mundo 2 min. 22.04.2019

Ataques no Sri Lanka. Mortos três dos quatro filhos de milionário dinamarquês Povlsen

Anders Holch Povlsen, proprietário do grupo de vestuário Bestseller, estava no Sri Lanka de férias com a mulher e os quatro filhos no momento dos ataques.

Três dos quatro filhos do milionário dinamarquês Anders Holch Povlsen, principal acionista da marca de compras 'online' ASOS, morreram nos atentados de domingo no Sri Lanka que fizeram 290 mortos, anunciou hoje um porta-voz da empresa.

Segundo a imprensa dinamarquesa, Anders Holch Povlsen, proprietário do grupo de vestuário Bestseller, estava no Sri Lanka de férias com a mulher e os quatro filhos no momento dos ataques.

"Pedimos que respeitem a vida privada da família e não temos mais comentários", disse à AFP Jesper Stubkier, responsável da comunicação da Bestseller.

Não foram indicadas as idades das vítimas.

Anders Holch Povlsen, de 46 anos, herdou o grupo Bestseller, criado em 1975 pelos seus pais, Merete e Troels Holch Povlsen.

O grupo, que diz ter quase 3.000 pontos de venda em 70 países, tem marcas como Vero Moda, Only e Jack & Jones.

Holch Povlsen é também acionista maioritário da marca britânica de vendas na Internet ASOS e possui ações da Zalando, especialista alemã de vendas 'online'.

As oito explosões de domingo mataram, pelo menos, 290 pessoas, entre as quais um português residente em Viseu, e provocaram 500 feridos.

Dinamarqueses, australianos, americanos, chineses, japoneses, britânicos, turcos e indianos, além do português, estão entre os estrangeiros mortos nos ataques de domingo, de acordo com informações fornecidas pelos respetivos Governos.

A capital do país, Colombo, foi alvo de pelo menos cinco explosões: em quatro hotéis de luxo e uma igreja.

Duas outras igrejas foram também alvo de explosões, uma em Negombo, a norte da capital e onde há uma forte presença católica, e outra no leste do país.

A oitava e última explosão teve lugar num complexo de vivendas na zona de Dermatagoda.

As primeiras seis explosões ocorreram "quase em simultâneo", pelas 08:45 de domingo (03:15 em Portugal), de acordo com fontes policiais citadas por agências internacionais.

O número de pessoas detidas relacionadas com os ataques, que não foram ainda reivindicados, também aumentou de 13 para 24, disse à agência de notícias francesa France-Presse (AFP) o porta-voz da polícia Ruwan Gunasekera.

A polícia também informou hoje que uma bomba artesanal foi descoberta e desativada no domingo, perto do principal aeroporto de Colombo.

As autoridades policiais descobriram hoje 87 detonadores de bombas num terminal de autocarros na capital.

"Oitenta e sete detonadores foram descobertos num terminal de autocarros particular de Bastian Mawatha, em Pettah", informaram as forças de segurança num comunicado.

Lusa


Notícias relacionadas