Escolha as suas informações

Ataques aéreos em Kiev, Lutsk, Rivne, Kharkiv e Jitomir
Mundo 28.03.2022
Guerra na Ucrânia

Ataques aéreos em Kiev, Lutsk, Rivne, Kharkiv e Jitomir

Guerra na Ucrânia

Ataques aéreos em Kiev, Lutsk, Rivne, Kharkiv e Jitomir

Foto: Aris Messinis/AFP
Mundo 28.03.2022
Guerra na Ucrânia

Ataques aéreos em Kiev, Lutsk, Rivne, Kharkiv e Jitomir

Lusa
Lusa
A guerra provocou a fuga de 10 milhões de pessoas, incluindo deslocados internos na Ucrânia.

As sirenes de ataque aéreo voltaram a soar esta madrugada em várias cidades ucranianas e foram noticiadas explosões em Lutsk, Rivne, Kharkiv, Jitomir e na capital, Kiev.

A administração militar de Volyn informou que mísseis russos atingiram um depósito de petróleo, segundo o "The Kiev Independent". "Mais uma vez, ataques com mísseis em Lutsk, Kharkiv, Jitomir e Rivne. Mais um dia, mais ataques. Mariupol sob bombardeamento. Os russos já não têm língua, humanismo, civilização. Apenas foguetes e bombas", escreveu o conselheiro presidencial ucraniano Mikhailo Podoliak na rede social Twitter.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.119 civis, incluindo 139 crianças, e feriu 1.790, entre os quais 200 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.


Um vídeo partilhado nas redes sociais mostra o fósforo branco a cair sobre Irpin, visto a partir de Kiev.
O que são bombas de fósforo branco, as armas proibidas que a Rússia é acusada de usar na Ucrânia?
As bombas de fósforo, que deixam marcas brancas no céu, atingiram uma cidade na região de Lugansk, de acordo com funcionários ucranianos.

A guerra provocou a fuga de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 3,8 milhões de refugiados em países vizinhos e quase 6,5 milhões de deslocados internos. A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas