Escolha as suas informações

Ataque contra estação de comboios no leste da Ucrânia faz 39 mortos e 100 feridos
Mundo 2 min. 08.04.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Ataque contra estação de comboios no leste da Ucrânia faz 39 mortos e 100 feridos

Ataque com rockets a estação ferroviária no leste da Ucrânia fez, pelo menos, 39 mortes.
Guerra na Ucrânia

Ataque contra estação de comboios no leste da Ucrânia faz 39 mortos e 100 feridos

Ataque com rockets a estação ferroviária no leste da Ucrânia fez, pelo menos, 39 mortes.
Foto: AFP
Mundo 2 min. 08.04.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Ataque contra estação de comboios no leste da Ucrânia faz 39 mortos e 100 feridos

Redação
Redação
Pelo menos 39 pessoas, entre as quais quatro crianças, morreram no ataque atribuído às forças russas. Moscovo nega a autoria e diz que destroços são de mísseis usados pelas forças ucranianas.

Pelo menos 39 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas num ataque que atingiu esta sexta-feira de manhã a estação ferroviária de Kramatorsk, leste da Ucrânia, quando centenas de pessoas esperavam no local para fugir da região, segundo fontes locais.

O primeiro balanço provisório de vítimas deste ataque foi fornecido pelo chefe da companhia ferroviária ucraniana, citado pelas agências noticiosas Associated Press (AP) e France-Presse (AFP).

O diretor da Ukrzaliznytsia, companhia de caminhos de ferro da Ucrânia, Oleksandre Kamychine, disse que mais de 30 pessoas morreram e que pelo menos 100 pessoas ficaram feridas quando pelo menos um ‘rocket’ atingiu a gare ferroviária de Kramatorsk. O mesmo responsável denunciou o ataque como sendo "deliberado”.


Rússia lança ataques nas regiões de Donbass
A Rússia lançou nas últimas 24 horas sete ataques nas regiões de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, que foram repelidos, disse o Estado Maior do exército ucraniano.

Entretanto, o governador da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, disse que "milhares de civis" estavam na estação no momento do ataque.  

Segundo os Serviços de Segurança Ucranianos (SBU), citados pela AFP, pelo menos 39 pessoas, incluindo menores, morreram no ataque. "Os fascistas russos atacaram a estação de comboio de Kramatorsk: 39 mortos, incluindo quatro crianças", disse o porta-voz da SBU Artiom Dekhtiarenko no Facebook.  

O ministério da Defesa russo, citado pela AFP, negou que a autoria da investida tenha partido de Moscovo, alegando que "as declarações de representantes do regime nacionalista de Kiev de que a Rússia efetuou um ataque com mísseis à estação ferroviária de Kramatorsk são uma provocação e não correspondem à verdade".

"Salientamos particularmente que os mísseis táticos Totchka-U, cujos destroços foram encontrados nas proximidades da estação ferroviária de Kramatorsk e (cujas imagens) foram transmitidas por testemunhas, são utilizados apenas pelas forças armadas ucranianas", disse. 

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, já condenou o ataque acusando a Rússia de ser a autora e afirmando que se tratou de "mais uma tentativa" de impedir os civis de fugirem da guerra.


UE adota pacote de sanções com embargo a carvão russo
O embargo ao carvão russo terá efeitos a partir de agosto.

“Condeno veementemente o ataque indiscriminado desta manhã contra uma estação de comboio em Kramatorsk pela Rússia, que matou dezenas de pessoas e deixou muitas mais feridas”, escreveu o Alto Representante para a Política Externa e de Defesa da UE, na sua conta na rede social Twitter, citada pela Lusa. O responsável acrescentou que “é mais uma tentativa de fechar vias de saída para aqueles que fogem desta guerra injustificada e de causar sofrimento humano”.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.611 civis, incluindo 131 crianças, e feriu 2.227, entre os quais 191 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,3 milhões para os países vizinhos.

Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

(Com agências)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas