Escolha as suas informações

Ataque com torpedos a dois petroleiros no Golfo de Omã
Mundo 2 min. 13.06.2019

Ataque com torpedos a dois petroleiros no Golfo de Omã

Ataque com torpedos a dois petroleiros no Golfo de Omã

Foto: AFP
Mundo 2 min. 13.06.2019

Ataque com torpedos a dois petroleiros no Golfo de Omã

Bruno AMARAL DE CARVALHO
Bruno AMARAL DE CARVALHO
É o segundo ataque no período de um mês

É mais um incidente que faz soar os alarmes nas já agitadas águas do Golfo de Omã. Na manhã de quinta-feira, dois petroleiros foram atacados, perto do Estreito de Ormuz, segundo a Marinha dos Estados Unidos da América (EUA) e a imprensa iraniana. De acordo com as agências internacionais de notícias, a Marinha dos Estados Unidos afirmou que estava a prestar assistência a petroleiros que foram atacados, um deles em chamas. “Fomos informados de um ataque contra petroleiros no golfo de Omã. As forças navais norte-americanas na região receberam duas chamadas de socorro distintas”, afirmou em comunicado o comandante Josh Frey, porta-voz da 5.ª Frota da Marinha, responsável por zelar pelos interesses dos Estados Unidos nas águas da região. 

Este é o mesmo local onde outros quatro navios foram sabotados há um mês. O preço do crude sofreu uma subida de 4% até aos 62 de dólares por barril ao conhecer-se a notícia. Esta zona encontra-se perto do Estreito de Ormuz por onde passa um terço do petróleo que se comercializa por via marítima e uma quinta parte do que se consome no mundo. Depois do último incidente, os Estados Unidos acusaram o Irão que negou qualquer participação.

De acordo com Joshua Frey, porta-voz da 5.ª Frota dos Estados Unidos, que tem base no Bahrein, os norte-americanos receberam “duas chamadas de auxílio” às 6.12 e às 7.00, hora local, por parte dos petroleiros. Por sua vez, a agência iraniana de notícias, IRNA, informou que as autoridades marítimas do país resgataram 44 pessoas de “dois petroleiros estrangeiros” depois de um “acidente” e que os transportou para o porto iraniano de Bandar-e-Jask. 

Os navios foram identificados como o Front Altair, com bandeira das ilhas Marshall, e o Kokuka Courageous, com pavilhão panamenho. De acordo com fontes iranianas, o primeiro transportava etanol do Qatar para Taiwan e o segundo ia carregado de metanol da Arábia Saudita para Singapura. A página de informação marítima Tradewindnews afirma que um petroleiro, propriedade da empresa norueguesa Frontline, e que outro da Schulte, de Singapura, foram alcançados por torpedos. 

O caso acontece quando o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, está de visita ao Irão, numa altura em que Teerão e Washington assistem a uma escalada de tensão política e militar, tornando o tema um dos pontos centrais das conversas que tem desenvolvido com Hassan Rohani. A visita de Abe é a primeira de um chefe de Governo japonês desde a revolução islâmica de 1979 e a primeira de um líder de um país do G7 desde que o Presidente norte-americano, Donald Trump, se retirou do acordo nuclear. O Japão é um importante aliado dos Estados Unidos da América e tem um histórico de relações comerciais com o Irão muito profundo, o que torna este país um potencial mediador do conflito entre aqueles dois países. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas