Escolha as suas informações

Alemanha vai impor testes aos viajantes que regressam de zonas de risco
Mundo 3 min. 28.07.2020

Alemanha vai impor testes aos viajantes que regressam de zonas de risco

Alemanha vai impor testes aos viajantes que regressam de zonas de risco

Foto: AFP
Mundo 3 min. 28.07.2020

Alemanha vai impor testes aos viajantes que regressam de zonas de risco

AFP
AFP
A medida deverá entrar em vigor na próxima semana e os testes serão gratuitos. Engloba cidadãos que viajem do Luxemburgo.

A Alemanha vai impor testes de rastreio à covid-19 aos viajantes que regressam de regiões de alto risco, anunciou, na segunda-feira, 27 de julho, o ministro da Saúde, após um aumento de novas infecções consideradas preocupantes pelas autoridades. O medida abrange assim o Luxemburgo, que foi recentemente considerado zona de risco pelo Instituto alemão Robert Koch (RKI). 

A medida deverá entrar em vigor na próxima semana, disse Jens Spahn num tweet na sua conta oficial de Twitter, sublinhando que os testes seriam gratuitos. "Temos de evitar que os viajantes que regressam não saibam se estão a infetar os outros e assim desencadear novas cadeias de infeção", disse ele. 

O recente aumento dos números diários de infeções pelo novo coronavírus, para mais de 800 casos, desencadeou um debate na Alemanha sobre a imposição de testes aos viajantes, como já o fazem outros países, nomeadamente em França.    


Hotel alemão confirma ter rejeitado hóspedes do Luxemburgo mas nega discriminação
Depois de várias críticas nas redes sociais, o Elztalhotel emitiu um comunicado a explicar que o aumento de casos de covid-19 no Grão-Ducado justificou essa decisão temporária.

 "Há razões para preocupação", já tinha dito  o chefe da chancelaria, Helge Braun, em referência ao aumento dos casos. Segundo afirmou, após uma reunião com os ministros da saúde regionais, as regiões - responsáveis pela implementação das medidas de acordo com o federalismo alemão - estão dispostas a impor estes testes.

Manter o controlo 

Até à data, os viajantes que regressem de qualquer um dos 130 países considerados de risco, incluindo os Estados Unidos, Brasil, Israel e o Luxemburgo, devem observar uma quarentena de 14 dias, a menos que o seu teste seja negativo. 

Na sexta-feira, as autoridades decidiram oferecer testes de despistagem gratuitos aquando do seu regresso, mas a título voluntário, tendo sido criadas estações nos aeroportos para esse fim. 

 As pessoas que regressam de áreas não consideradas como zonas de risco da epidemia também podem ser testadas gratuitamente. A ideia é reduzir o risco de uma segunda vaga no país, que nas últimas semanas também registou surtos em matadouros e explorações agrícolas. 

 "Se tivermos um nível mais elevado de infecções no verão (...) devido ao nosso comportamento durante os tempos livres ou férias, então será ainda mais difícil controlar a situação neste outono", advertiu Braun, dizendo que os novos casos devem permanecer "bem abaixo de 500" por dia.  E exortou os alemães a respeitarem as regras de distanciamento e higiene. 

 "Agir o mais rapidamente possível" 

A Baviera, por seu lado, anunciou na segunda-feira a instalação de estações de ensaio abertas a todos os viajantes em três auto-estradas próximas da fronteira austríaca, bem como nas estações ferroviárias de Munique e Nuremberga, depois de já ter equipado os aeroportos locais na semana passada. 

Markus Söder, o chefe do governo regional, que é considerado como um sucessor potencial da chanceler Angela Merkel, pretende conter um novo surto de infecção no seu território e prevenir novos surtos à medida que as férias de verão começam no estado.


Alemanha. Baviera quer testar todos os turistas
Por enquanto, testes à covid-19 não vão ser obrigatórios.

"Não se pode parar o novo coronavírus. Só podemos tentar reduzir a sua propagação", disse Söder, que é também presidente da CSU, o partido irmão da CDU da chanceler. "Devemos "agir o mais rapidamente possível e logo que os primeiros sintomas apareçam", insistiu, lamentando o "muito grande descuido" demonstrado por algumas pessoas em não respeitar as regras do distanciamento físico. 

Com 2.619 mortes registadas oficialmente, de um total de 9.118 em todo o país, esta rica região do sul foi fortemente afectada pelo covid-19, em parte devido ao regresso de turistas da Áustria, onde o vírus foi amplamente transmitido em várias estâncias de esqui. 

Novo surto detetado este fim-de-semana em meio rural

Cerca de 480 trabalhadores agrícolas, incluindo muitos trabalhadores sazonais imigrantes, foram colocados em quarentena depois de 174 deles terem apresentado resultados positivos. 

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas