Escolha as suas informações

Afeganistão. Emirado Islâmico diz querer mulheres no governo
Mundo 2 min. 17.08.2021
Tomada de poder

Afeganistão. Emirado Islâmico diz querer mulheres no governo

Imagens da televisão Al-Jazeera mostram membros dos talibã no palácio presidencial, em Cabul, após a tomada de poder no Afeganistão.
Tomada de poder

Afeganistão. Emirado Islâmico diz querer mulheres no governo

Imagens da televisão Al-Jazeera mostram membros dos talibã no palácio presidencial, em Cabul, após a tomada de poder no Afeganistão.
Foto: AFP
Mundo 2 min. 17.08.2021
Tomada de poder

Afeganistão. Emirado Islâmico diz querer mulheres no governo

Lusa
Lusa
Talibãs afirmaram que "uma amnistia geral foi declarada para todos (...) e que, por isso, todos devem regressar à normalidade, em confiança".

Os responsáveis talibãs que instauraram o Emirado Islâmico depois da reconquista de Cabul anunciaram uma amnistia geral para os funcionários do Estado e urgiram as mulheres a fazerem parte do governo.

De acordo com a Associated Press, que cita a declaração transmitida pela televisão, as forças talibãs indicaram esta terça-feira que "não querem que as mulheres sejam vítimas" urgindo-as a fazerem parte do governo não tendo especificado que tipo de medidas vão ser adotadas nesse sentido

A televisão do antigo Estado afegão, controlada desde domingo pelos talibãs, transmitiu hoje as declarações de Enmullah Samangani, membro da Comissão Cultural do Emirado Islâmico sobre os funcionários públicos e as mulheres.

O responsável do Emirado Islâmico acrescentou que a "estrutura do governo ainda não está totalmente definida". "Com base na experiência, (o governo) será composto por dirigentes islâmicos das várias 'partes'", afirmou Samangani transmitida por volta das 11:00 em Cabul (mais quatro horas do que no Luxemburgo).


Voos comerciais retomados no aeroporto de Cabul
A situação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, cujas pistas foram invadidas por milhares de pessoas tentando desesperadamente fugir do Afeganistão, obrigou a que todos os voos fossem suspensos por várias horas esta segunda-feira.

Por outro lado, os talibãs declararam que "uma amnistia geral foi declarada para todos (...) e que, por isso, todos devem regressar à normalidade, em confiança". De acordo com os relatos das agências internacionais, "a calma regressou" ao aeroporto internacional de Cabul depois de um dia caótico marcado pela tentativa de fuga de centenas de pessoas que tentavam abandonar o país a bordo dos aviões dos Estados Unidos.

Pelo menos sete pessoas morreram durante as últimas 48 horas durante os incidentes no aeroporto de Cabul, cidade habitada por cerca de cinco milhões de pessoas. 

Os civis, na capital, mantêm-se em casa desde a tomada da cidade pelas forças talibãs.  As informações sobre os acontecimentos nas 34 províncias do país são escassas. Mesmo assim, o Comité Internacional da Cruz Vermelha disse hoje que milhares de pessoas ficaram feridas nos combates das últimas semanas.


Foto de ilustração
Desesperados, afegãos caem de avião ao tentar fugir agarrados a exterior da aeronave
Veja o vídeo de várias pessoas a subir para o trem de aterragem ou fuselagem de um avião da força aérea dos EUA no aeroporto de Cabul para fugir do país. Pelo menos duas sofreram uma queda mortal quando o aparelho levantava voo, esta manhã.

Entretanto, uma fonte oficial que participou nas negociações do Qatar, citada pela France Presse, disse sob anonimato que o líder talibã, Amir Khan Muttaqui chegou hoje a Cabul.

Muttaqui, que se encontrava em Doha, no Qatar, foi ministro da Educação durante o governo que controlou o Afeganistão entre 1996 e 2001. Muttaqui estabeleceu contactos com os líderes políticos afegãos antes de o ex-presidente Ghani ter partido para o exílio, no domingo. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas