Escolha as suas informações

A Ucrânia pode tomar Severodonetsk "em 2 ou 3 dias"
Mundo 2 min. 09.06.2022
Guerra na Ucrânia

A Ucrânia pode tomar Severodonetsk "em 2 ou 3 dias"

 Donbass
Guerra na Ucrânia

A Ucrânia pode tomar Severodonetsk "em 2 ou 3 dias"

Donbass
Foto: AFP
Mundo 2 min. 09.06.2022
Guerra na Ucrânia

A Ucrânia pode tomar Severodonetsk "em 2 ou 3 dias"

Redação
Redação
Os acontecimentos da guerra nas últimas horas.

A Ucrânia pode tomar Severodonetsk "em 2 ou 3 dias", assim que tiver armas de artilharia ocidental com "longo alcance", disse Sergei Gaïdaï, governador desta região da Ucrânia oriental, nesta quinta-feira. 

O exército russo tenta há semanas tomar esta cidade industrial na região de Lugansk, que é importante para controlar toda a bacia mineira de Donbass. "Em muitos aspetos, o destino do nosso Donbass está a ser decidido aqui", disse o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, na quarta-feira à noite. 

Líderes pró-russos de Zaporijia admitem integração da região na Rússia

"É minha profunda convicção que isso [referendo sobre integração] pode ser feito no outono", disse o chefe da administração civil e militar de Zaporijia, Yevgeny Balitsky, ao canal estatal Rossiya-24, citado pela agência espanhola EFE.

Balitsky, que foi nomeado por Moscovo após as tropas russas terem conquistado parcialmente Zaporijia, disse que "quase 80%" da região está sob controlo da Rússia e de milícias pró-russas. As autoridades ucranianas admitiram que a Rússia controla 60% da região de Zaporijia, onde está localizada a maior central nuclear da Europa.

Em maio, os líderes pró-russos da vizinha Kherson, parcialmente sob controlo russo, disseram igualmente que pretendiam integrar a região na Rússia. No entanto, divergiram sobre se essa integração deve ser feita através de um referendo ou por decreto.

O chefe-adjunto da administração civil e militar de Kherson, Kiril Stremousov, disse, em maio, que provavelmente haverá um "decreto baseado no apelo dos líderes da região ao Presidente russo e um pedido para incluir a região numa província de pleno direito da Federação Russa".

Stremousov excluiu um referendo sobre a criação de uma república popular na linha das autoproclamadas repúblicas de Lugansk e Donetsk, reconhecidas pela Rússia como estados independentes três dias antes da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Em 2014, a península ucraniana da Crimeia foi integrada na Rússia após um referendo realizado sob ocupação russa, que não foi reconhecido pela comunidade internacional. A Ucrânia reclama a soberania sobre a Crimeia, mas o Governo de Moscovo tem afirmado que se trata de uma questão resolvida em definitivo.

Polónia critica Macron e Scholz por conversações com Putin

O Presidente da Polónia, Andrzej Duda, criticou numa entrevista ao jornal alemão Bild os homólogos francês e alemão por manterem conversações com o líder russo, Vladimir Putin, apesar da invasão da Ucrânia.

"Estou impressionado com todas estas conversações mantidas pelo chanceler [Olaf] Scholz e pelo Presidente Emmanuel Macron com Putin. Conversações que não estão a dar em nada", disse Duda em declarações ao jornal diário.

Dialogar com Vladimir Putin representa uma "espécie de legitimação de uma pessoa responsável por crimes perpetrados pelo Exército russo na Ucrânia", sustentou o líder polaco.

Por outro lado, o Presidente da Polónia disse que a situação na Ucrânia é comparável à da Alemanha nazi na Segunda Guerra Mundial. "E alguém falou assim com Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial? (...) Alguém lhe disse que se tinha de salvar a sua face? Que as coisas tinham que ser feitas de forma a não humilhar Adolf Hitler?", acrescentou.

(Com agências)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas