Xavier Bettel

Luxemburgo “pronto a ajudar os seus amigos portugueses”

Foto: AFP

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, exprimiu hoje a sua solidariedade com as vítimas dos incêndios em Portugal, afirmando que o Luxemburgo está pronto a apoiar “os seus amigos portugueses”.

“Os meus pensamentos estão com as vítimas dos incêndios e as famílias em Portugal. O meu apoio aos que combatem as chamas. O Luxemburgo pronto a ajudar os seus amigos portugueses”, disse o primeiro-ministro luxemburguês, numa mensagem enviada há pouco através da sua conta no twitter.

Xavier Bettel enviou também uma mensagem a António Costa, oferecendo a ajuda do Luxemburgo no combate aos fogos, disse ao Contacto fonte do gabinete do primeiro-ministro luxemburguês.

O ministro da Justiça do Luxemburgo, Félix Braz, filho de emigrantes portugueses no Grão-Ducado, também exprimiu a sua solidariedade através daquela rede social. "Os meus pensamentos estão com as famílias e com os amigos do terrível número de vítimas em Pedrógão Grande, Portugal".

Por seu turno, a eurodeputada luxemburguesa Viviane Reding publicou uma mensagem de solidariedade em português na sua conta de Facebook. "Meus pensamentos estão com as famílias das vítimas afetados por este terrível incêndio em Portugal", escreveu a antiga vice-presidente da Comissão Europeia, acrescentando que o mecanismo europeu de proteção civil já foi ativado. 

O comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, anunciou hoje que a União Europeia (UE) está pronta ajudar Portugal, tendo já sido enviados aviões de combate a incêndios pelo Mecanismo de Proteção Civil europeu. "Numa resposta imediata a um pedido de assistência das autoridades portuguesas, o Mecanismo de Proteção Civil da UE foi ativado para providenciar aviões de combate a incêndios", disse o comissário, num comunicado. "A UE está pronta para ajudar", salientou, lamentando as mortes e enviando as condolências "aos que perderam entes queridos".

O responsável referiu que "a França ofereceu imediatamente três aviões através do Mecanismo de Proteção Civil da UE, que serão enviados para ajudar no local”. Também a Espanha, “numa base bilateral, enviou equipamento aéreo".

O fogo, que causou pelo menos 62 mortos e mais de 50 feridos, deflagrou numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande, e alastrou-se aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar zonas povoadas.

P.T.A. (com Lusa)