Escolha as suas informações

Xavier Bettel. "Há pessoas que continuam a viver com medo pelas suas vidas e futuro"
Luxemburgo 2 min. 23.06.2020

Xavier Bettel. "Há pessoas que continuam a viver com medo pelas suas vidas e futuro"

Xavier Bettel. "Há pessoas que continuam a viver com medo pelas suas vidas e futuro"

Foto: SIP
Luxemburgo 2 min. 23.06.2020

Xavier Bettel. "Há pessoas que continuam a viver com medo pelas suas vidas e futuro"

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A pandemia causou danos que não podem ser reparados da noite para o dia", frisou Xavier Bettel no discurso da Festa Nacional lembrando que houve quem "sofresse" muito com a covid-19. Mas pede "confiança".

O Primeiro-ministro Xavier Bettel homenageou no discurso desta manhã, na cerimónia da Festa Nacional do Luxemburgo, o povo luxemburguês pelo modo como está a respeitar as regras, pela sua solidariedade neste "momento único da história" do país. Sem se esquecer dos transfronteiriços.

Uma festa esta ano celebrada de modo diferente devido à pandemia e às medidas de prevenção e o país teve de abdicar das "tradições a que estamos profundamente ligados". Mas o governante não desistiu das suas homenagens, neste dia especial. No seu discurso lembrou ainda a felicidade que representou o nascimento do Príncipe Charles para o país, dando os parabéns aos seus pais o casal herdeiro grão-ducal Guillaume e Stéphanie. 

"Tenho um enorme respeito por todos os cidadãos do nosso país e por todos os trabalhadores fronteiriços que diariamente vêm trabalhar para o Luxemburgo. Gostaria, portanto, de expressar a minha gratidão e orgulho pelos bons resultados que obtivemos em conjunto", declarou Bettel junto do monumento da Solidariedade Nacional, na capital.

Liberdades "restritas" devido ao vírus

O governante admitiu que no final de março a vida quotidiana dos habitantes levou uma volta de 180 graus e o "Governo foi obrigado a tomar medidas que dificultaram profundamente a vida de todos".

"As liberdades fundamentais de todos foram restringidas, tiveram de ser restringidas na luta contra um vírus que em muitas partes do mundo - e também muito perto de casa - tem sido a fonte de grande infortúnio", relembrou Bettel confessando que tais decisões não "foram de modo algum tomadas de ânimo leve". Porém, "eram imperativas e - como sabemos hoje - perfeitamente corretas". 


Luxemburgo assinala os 75 anos da libertação da capital
O Grão-Ducado comemora esta terça-feira os 75 anos da libertação da cidade do Luxemburgo, após a ocupação nazi.

Ainda há "ansiedade" e "medo"

Apesar da boa evolução da doença no País e do País estar a viver a fase do desconfinamento, Xavier Bettel quis alertar para as pessoas que "foram particularmente atingidas pela pandemia, pessoas que sofreram gravemente, tanto fisicamente como em termos de saúde".

Pessoas, que como acrescentou, "viveram e continuam a viver numa grande ansiedade e medo pelas suas vidas e pelo seu futuro". Como vinca o primeiro-ministro a pandemia causou "lesões e danos que não podem ser curados ou mesmo reparados da noite para o dia. Isto levará tempo e exigirá a continuação da dinâmica de solidariedade que temos vivido nas últimas semanas".

Bettel pede "confiança"

Confiança. É a mensagem que o governante deixou no final do discurso à população do Luxemburgo. "Olhar com confiança para os próximos meses e anos e que conseguiremos ultrapassar a crise que se avizinha no rescaldo daquela que acabámos de viver num esforço conjunto".

Também a União Europeia irá "enfrentar grandes desafios nos próximos meses e anos", estima Xavier Bettel, sublinhando que os fundamentos da democracia luxemburguesa e da União Europeia devem estar sempre na linha da frente.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas