Escolha as suas informações

Visita de Medvedev. EUA pressionam Luxemburgo sobre a Crimeia
Luxemburgo 2 min. 05.03.2019 Do nosso arquivo online

Visita de Medvedev. EUA pressionam Luxemburgo sobre a Crimeia

Visita de Medvedev. EUA pressionam Luxemburgo sobre a Crimeia

Foto: SIP
Luxemburgo 2 min. 05.03.2019 Do nosso arquivo online

Visita de Medvedev. EUA pressionam Luxemburgo sobre a Crimeia

Susy MARTINS
Susy MARTINS
A embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) no Grão-Ducado instou o Governo luxemburguês a posicionar-se contra a anexação da Crimeia à Rússia. O ministro do Trabalho, Dan Kersch, rejeitou de imediato qualquer interferência dos Estados Unidos na política externa do Grão-Ducado.

Num comunicado publicado esta segunda-feira, a embaixada dos Estados-Unidos no Luxemburgo diz que “o Grão-Ducado encontra-se numa posição única para defender os direitos de todos os países e populações” para que estes possam “ser o que que são”. Uma referência ao mote nacional do Luxemburgo “Mir wëlle bleiwe wat mir sin”.

Os Estados Unidos fazem alusão aos cinco anos de conflito entre Moscovo e Kiev, e pedem ao Governo luxemburguês para que tome posição nos encontros que vai ter hoje e amanhã, no Grão-Ducado, com primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, contra a incorporação da Crimeia pela Rússia, que aconteceu em 2014. A embaixada acrescenta ainda que o Luxemburgo já esteve por duas vezes em posições semelhantes à da Crimeia, quando foi ocupado por “um grande país vizinho, que lhe pediu para abandonar a sua identidade e fazer parte de um grande império”.

O Governo luxemburguês não reagiu oficialmente a este comunicado, contudo o ministro do Trabalho, Dan Kersch, respondeu através de uma publicação na sua página na rede social Facebook.  Na publicação, que entretanto já não está visível, o governante reagia à pressão dos EUA  e fazia notar que o “Luxemburgo não precisa da interferência de um outro país (ou embaixada) para definir a sua política externa”. Dan Kersch acrescentava ainda que, por “razões de agenda não tencionava participar nos encontros com o primeiro-ministro russo, mas depois do comunicado da Embaixada dos Estados-Unidos mudou de opinião, e vai marcar presença. Dan Kersch termina a publicação escrevendo que “assim não dá!” (esou geet dat nët!).

Esta reação à interferência dos EUA na política do Luxemburgo parece ter durado pouco tempo, o post do ministro saiu da página, e ficou-se a saber que na segunda-feira o embaixador luxemburguês em Moscovo, Jean-Claude Knebeler, expressou o seu apoio a possíveis novas sanções por parte da União Europeia contra a Rússia, isto depois de os Estados Unidos terem prolongado, também na segunda-feira, as sanções económicas a Moscovo. Este apoio do Luxemburgo a novas sanções foi declarado precisamente na véspera da visita de trabalho de dois dias do primeiro-ministro russo, Dimitri Medvedev, ao Grão-ducado.

Entretanto, os deputados do Partido Cristão Social, Claude Wiseler e Laurent Mosar, já colocaram uma questão parlamentar urgente dirigida ao primeiro-ministro, Xavier Bettel, e ao ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn. Os dois deputados querem saber qual a opinião do Governo sobre o comunicado da Embaixada dos Estados Unidos.

O primeiro-ministro russo, Medvedev, chega esta tarde de terça-feira ao Luxemburgo, para uma visita oficial de trabalho de dois dias.

Sobre o programa da deslocação sabe-se que o chefe de Governo tem agendado um encontro com o seu homólogo luxemburguês, Xaver Bettel. As relações entre a União Europeia e a Rússia e os principais assuntos da atualidade europeia e internacional são os temas dominantes desta reunião.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas