Escolha as suas informações

Viagens de Yves Mersch causam polémica
Luxemburgo 28.09.2020

Viagens de Yves Mersch causam polémica

Viagens de Yves Mersch causam polémica

Foto: Tim Wegner
Luxemburgo 28.09.2020

Viagens de Yves Mersch causam polémica

O diretor luxemburguês do BCE, de 70 anos, é acusado de ter levado a mulher em viagens pagas pelo banco e por outras instituições.

A poucos meses de terminar o mandato no Banco Central Europeu (BCE), Yves Mersch vê-se envolvido em polémica. O diretor luxemburguês do BCE, de 70 anos, é acusado de ter tirado partido das regalias da instituição, assim como de outros organismos, revela a revista alemã Der Spiegel. 

Membro da direção executiva do BCE, Yves Mersch terá alegadamente levado a sua mulher em viagens oficiais, para as quais esta não fora convidada, à custa do orçamento de diferentes instituições. Segundo a Der Spiegel, que teve acesso a trocas de emails, em causa está uma viagem a Salzburgo, na Áustria, em agosto de 2017, em que a Câmara de Comércio austríaca terá pago uma refeição e uma noite na ópera, enquanto o BCE financiou o voo de regresso do casal. Tudo no valor de 3.474 euros. 

Há ainda uma outra viagem que está a gerar controvérsia. Uma ida à Malásia, a convite das autoridades locais, onde Yves Mersch terá feito todos os possíveis para garantir que a sua mulher o acompanhasse e, de acordo com a Der Spiegel, o pedido foi mesmo acedido. A viagem custou 11.782 euros e foi financiada pelo BCE. 

Apesar da polémica, questionado pela revista, o BCE indica que os emails não refletem de forma clara a situação. Yves Mersch, que se reforma do BCE em dezembro, aufere um salário anual de cerca de 300.000 euros, mais alguns benefícios extra, em espécie. Dado tratar-se de uma organização internacional, a tributação sobre os rendimentos é baixa.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.