Escolha as suas informações

Viagens canceladas vão ser reembolsadas, mas não é para já
Luxemburgo 28.03.2020

Viagens canceladas vão ser reembolsadas, mas não é para já

Viagens canceladas vão ser reembolsadas, mas não é para já

Foto: Chris Karaba
Luxemburgo 28.03.2020

Viagens canceladas vão ser reembolsadas, mas não é para já

Em colapso, os operadores turísticos continuam obrigados a reembolsar os clientes. O prazo de 14 dias é que deixa de contar.

Em crise, os operadores turísticos do Luxemburgo viram alargado o reembolso das viagens canceladas face às medidas de segurança impostas praticamente por todo o mundo que estão a paralisar companhias aéreas e, praticamente, todo o setor hoteleiro. 

Em circunstâncias normais, os clientes devem ser reembolsado no prazo de 14 dias. Tendo em consideração que a acumulação de pedidos de reembolso poderia levar a uma falta crítica de liquidez no setor, constituindo um risco financeiro importante para a sua sobrevivência, o governo luxemburguês decidiu suspender temporariamente os efeitos da rescisão dos contratos das viagens organizadas.

A medida deve vigorar durante os três meses do estado de emergência, declarado a 18 de março. Para já, a medida exclui, por exemplo, os voos cancelados na Ryanair que, por ordem da low cost, devem ser reagendados, com os custos associados, e nunca cancelados. 

Neste sentido, o departamento de crise criado para lidar com a pandemia no Grão-Ducado defende uma solução a nível europeu.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas