Escolha as suas informações

Viagens à Alemanha para consultas médicas continuam a ser permitidas
Luxemburgo 2 min. 28.09.2020

Viagens à Alemanha para consultas médicas continuam a ser permitidas

Viagens à Alemanha para consultas médicas continuam a ser permitidas

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 2 min. 28.09.2020

Viagens à Alemanha para consultas médicas continuam a ser permitidas

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Os residentes do Luxemburgo vão poder continuar a ir às consultas e exames médicos no estado da Renânia-Palatinado, apesar do Grão-Ducado ser "zona de risco".

A Alemanha voltou a classificar o Luxemburgo como “zona de risco” tendo imposto restrições à entrada dos residentes no país, desde o passado dia 25.

Contudo, o Ministério de Saúde de Mainz vai continuar a permitir a visita dos luxemburgueses ao seu estado alemão por motivos médicos, como consultas agendadas, indica o ministério citado pela RTL.


Covid-19. Alemanha e Bélgica "fecham" fronteiras com Luxemburgo
Os dois países vizinhos voltaram a impor restrições à entrada dos residentes do Grão-Ducado devido ao aumento dos casos de infeções. Saiba quais são. Suíça também bloqueia entrada.

Do mesmo modo, também são autorizadas as deslocações dos estudantes do Grão-Ducado às suas universidades da Renânia-Palatinado para exames e provas de avaliação.

Estas são duas exceções às novas restrições impostas pela Alemanha aos residentes do Luxemburgo, desde sexta-feira, dia 25, quando voltou a colocar o Grão-Ducado na lista negra.


Hospitais alemães estão a recusar atender doentes do Luxemburgo
São conhecidos pelos menos três casos. Partido Democrático quer saber o total de residentes proibidos de entrar nos hospitais na Alemanha e quais as medidas que o Governo irá tomar contra estas “recusas chocantes”.

Recorde-se que durante o período anterior em que o Luxemburgo esteve classificado como país de risco para a Alemanha, certos hospitais alemães impediram a entrada de residentes luxemburgueses mesmo quando estes tinham consultas marcadas, como revelou na altura o Contacto. Os ministérios da Saúde e dos Negócios Estrangeiros do Grão-Ducado tiveram de intervir nalguns destes casos para desbloquear a situação.

De salientar que cada estado federal alemão apresenta as suas restrições próprias aos residentes dos países classificados como zona de risco.

As restrições

Enquanto o país se mantiver na ‘lista negra’ os residentes do Luxemburgo terão de apresentar um teste de despistagem negativo para a covid-19 à chegada a Alemanha, ou serão obrigados a realizar esta análise e ficar em quarentena.

A administração da Renânia-Palatinado declarou que a estratégia de testes em larga escala do Grão-Ducado facilitará a realização dos testes a quem queira viajar para o seu estado permitirá aos seus cidadãos a realização destes testes menos de 48 horas antes da partida. Resultados mais antigos não são válidos.

Os trabalhadores transfronteiriços poderão circular sem restrições para vir trabalhar no Luxemburgo e regressar a casa como sempre fazem.


Luxemburgo volta à "lista vermelha" da Alemanha
Berlim voltou a considerar o Grão-Ducado como uma zona de risco, devido ao aumento do número de infetados pelo novo coronavírus. O ministro dos Negócios Estrangeiros luxemburguês está em contacto com o homólogo alemão para limitar os efeitos desta classificação na população.

Por seu turno, os habitantes dos estados do Sarre e da Renânia-Palatinado que estiveram mais de 72 horas no Luxemburgo quando regressarem à Alemanha terão de fazer quarentena ou apresentar um teste negativo à infeção pela covid-19, também realizado até 48 horas antes.

Até ao limite de 72 horas podem viajar para o Luxemburgo sem necessidade de quarentena.

A primeira vez que o Luxemburgo foi classificado como zona de risco pela Alemanha devido à epidemia da covid-19 foi a 14 de julho mantendo-se as fronteiras fechadas e as restrições até ao dia 20 de Agosto. 

O ministro Jean Asselborn já anunciou que está em negociações com o Governo alemão para rever a atual situação considerando injusta a nova inclusão do país na lista negra alemã.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas