Escolha as suas informações

Vai viajar para estes países? Tudo o que precisa de saber
Luxemburgo 4 min. 29.07.2020

Vai viajar para estes países? Tudo o que precisa de saber

Vai viajar para estes países? Tudo o que precisa de saber

Foto: AFP
Luxemburgo 4 min. 29.07.2020

Vai viajar para estes países? Tudo o que precisa de saber

Várias restrições mantêm-se e outras vão sendo levantadas ou adicionadas conforme a evolução do vírus nos países. As regras variam consoante o destino e a proveniência dos viajantes.

As fronteiras no espaço europeu abriram de forma generalizada a 1 de julho, mas nem por isso as viagens ocorrem com a mesma liberdade anterior à pandemia. 

Várias restrições mantêm-se e outras vão sendo levantadas ou adicionadas conforme a evolução do vírus nos diferentes países. 


Vai viajar? Governo vai acelerar testes à covid-19 durante o verão
Os residentes do Luxemburgo podem preencher pedido de marcação online.

Se vai viajar ou a está a pensar planear as suas férias fora do Luxemburgo, importa saber quais as condições colocadas nos diversos destino. 

Com o aumento de casos de covid-19, o Grão-Ducado tem sido incluído na lista das zonas de risco de vários estados, alguns deles fronteiriços, como é o caso da Alemanha. 

Esta semana, este país vizinho anunciou que vai impor testes de rastreio à covid-19 aos viajantes que provenham de regiões de alto risco, onde se inclui o Luxemburgo. 


Mais de 11.000 pessoas pediram teste antes de ir de férias para o estrangeiro
O Governo tem a partir de 17 de julho um sistema de testes à covid-19 para quem pretende viajar para o estrangeiro.

Até agora, os que regressassem de qualquer um dos países considerados de risco deviam observar uma quarentena de 14 dias, a menos que o teste fosse negativo. A partir da próxima semana, começarão a ser feitos testes de rastreio. 

Já, noutro país vizinho, a Bélgica, o Grão-Ducado está listado como "zona laranja", mas não há propriamente restrições. É apenas recomendada uma quarentena de 14 dias e um teste à covid-19, mas estes não são obrigatórios. 

Em França e nos Países Baixos, o Luxemburgo não consta atualmente de nenhuma lista com este tipo de restrições. O mesmo vale para o Reino Unido, que apesar do aumento de casos no Grão-Ducado, mantém o país nos corredores turísticos isentos de quarentena, ao contrário do que acontece com Portugal, apesar de ter menos casos por habitante que aquele. 


Entrevista com investigador. Fronteiras da covid-19 "têm mais a ver com interpretações políticas dos factos científicos"
Portugal e o Luxemburgo têm sido considerados zonas de risco pelos seus pares e têm visto serem-lhes colocadas restrições e condições a quem a partir deles viaje.

Portugal (continental) é um dos poucos países que não impõe qualquer restrição ou condição para quem viaje do Luxemburgo, assim como Malta. 

Os turistas do Luxemburgo também são bem-vindos na Áustria, sem quaisquer restrições, mas na Suíça as regras são diferentes. Como refere o Luxemburger Wort, estando o Grão-Ducado na lista de alto risco, os turistas daí provenientes terão de ficar em quarentena durante dez dias e apresentar-se às autoridades dos Cantões, no prazo de dois dias, mesmo tendo teste negativo. 

Mais restritivos 

Os países escandinavos têm algumas das políticas mais restritivas no que respeita às viagens a partir do estrangeiro, impondo mesmo a proibição de entrada de cidadãos de países considerados de risco, em alguns casos. 

Tal como Portugal, o Luxemburgo tem atualmente entrada negada aos cidadãos que viagem a partir dele, na Finlândia e na Dinamarca. Neste último país, há apenas exceções para quem possua casa de férias, barco ou reserva permanente num parque de campismo dinamarquês. Nestes casos, os viajantes devem levar um certificado apropriado e todos os acompanhantes devem ter um teste negativo, realizado com 72 horas de antecedência. 


Hotel alemão confirma ter rejeitado hóspedes do Luxemburgo mas nega discriminação
Depois de várias críticas nas redes sociais, o Elztalhotel emitiu um comunicado a explicar que o aumento de casos de covid-19 no Grão-Ducado justificou essa decisão temporária.

Para entrar na Noruega, é preciso fazer uma quarentena de dez dias e apresentar documentos comprovativos declarando que está alojado num endereço registado no país. 

 A Suécia é a exceção, permitindo a entrada de viajantes oriundos do Luxemburgo sem restrições. 

 Ainda nos países mais a norte, a Islândia permite a entrada, com a condição de quarentena imediata de 14 dias ou submissão a um teste à covid-19 no aeroporto. Se o resultado for positivo, haverá novo teste para determinar se é infeccioso ou se o resultado se deve a infecção da qual já esteja curado. 

Na Irlanda também é imposta quarentena de 14 dias e preenchimento de um documento. Assim como no Chipre, independentemente de o teste à covid-19 ser positivo ou negativo.

Permitidos mas sob preenchimento de formulário 

A entrada de turistas e viajantes do Luxemburgo é permitida, sem quarentenas ou testes obrigatórios, em países como Itália, Espanha ou Grécia. No entanto, terão de preencher um formulário de localização e apresentá-lo às autoridades dos respetivos países - na Croácia esse formulário é, para já, voluntário. 


Os países que colocaram o Luxemburgo na "lista negra"
Com o aumento de casos confirmados de covid-19, cada vez mais países acreditam que o Luxemburgo é um país de risco.

No caso da Grécia, há testes de rastreio aleatórios à chegada ao aeroporto e na Galiza, Espanha, a partir desta quarta-feira, 29 de julho, os turistas do Luxemburgo, assim como os de Portugal, terão de fazer um registo em que fornecem os seus contactos. 

 Recorde-se os regulamentos de cada país podem mudar muito rapidamente, pelo que é aconselhável verificar nos sites oficiais e junto das autoridades de cada país as normas em vigor - e também as exceções - antes de iniciar a sua viagem. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas