Escolha as suas informações

Vacinados há menos de seis meses dispensados de teste para aceder a cafés e restaurantes
Luxemburgo 10.01.2022
Covid-19

Vacinados há menos de seis meses dispensados de teste para aceder a cafés e restaurantes

Covid-19

Vacinados há menos de seis meses dispensados de teste para aceder a cafés e restaurantes

Foto: AFP
Luxemburgo 10.01.2022
Covid-19

Vacinados há menos de seis meses dispensados de teste para aceder a cafés e restaurantes

Catarina OSÓRIO
Catarina OSÓRIO
Proposta do Governo será votada esta semana pelos deputados. Haverá ainda alterações no que respeita ao período de isolamento e à validade dos certificados de vacinação.

A quem possa ter escapado as novas regras contra a covid-19 propostas pelo Executivo luxemburguês, há uma alteração que salta à vista: os vacinados há menos de seis meses estarão dispensados de teste negativo para aceder a cafés e restaurantes. 

Este é o chamado regime "CovidCheck 2G+", que o Governo clarificou no final da semana passada, e é válido para todos os residentes com mais de 12 anos e 12 meses de idade.   

Assim, quem completou a vacina há mais de seis meses e que ainda não tomou a dose de reforço vai necessitar de teste negativo para aceder aos estabelecimentos da Horeca. Os testes podem ser feitos no local sob a forma de autotestes, ou numa farmácia ou laboratório. Tanto os de antigénio como PCR são válidos.

Dispensados dos testes estão os já "vacinados com a dose de reforço, quem completou as duas doses há menos de 180 dias, ou quem recuperou da doença". 

As medidas deverão passar pelo crivo do Parlamento ainda esta semana. Ao mesmo tempo, quem não pode ser vacinado por razões médicas necessita também de teste negativo.

Ainda segundo as atuais regras, os restaurantes, bares e cafés do Grão-Ducado continuam a ter de encerrar às 23h. 

Período de isolamento com novas regras

Depois do Conselho de Estado de 4 de janeiro, há também novas medidas no que respeita à vacinação e ao período de isolamento, que serão votadas pelos deputados.

O Governo propõe a manutenção da duração máxima do isolamento de 10 dias para quem não tenha a vacinação completa nem a vacina de reforço no prazo de seis meses. 

Para os infetados que estiverem vacinadas ou tiverem recebido uma vacina de reforço, o objetivo é reduzir o período de isolamento para um máximo de 6 dias, desde que sejam feitos dois testes rápidos de antigénio no 5° e no 6° dia com resultados negativos.


Bruxelas aprova validade de nove meses para certificados digitais
A medida entra em vigor a partir de 1 de fevereiro de 2022.

Em linha com as orientações europeias, a validade dos certificados de vacinação deverá passar ainda para nove meses a contar da data em que foi completada a vacinação. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas