Escolha as suas informações

Vacinação obrigatória. Oito dias para discutir a mais difícil decisão em oito anos
Luxemburgo 2 min. 12.01.2022
Covid-19

Vacinação obrigatória. Oito dias para discutir a mais difícil decisão em oito anos

Covid-19

Vacinação obrigatória. Oito dias para discutir a mais difícil decisão em oito anos

Foto: Gerry Huberty/Luxemburger Wort
Luxemburgo 2 min. 12.01.2022
Covid-19

Vacinação obrigatória. Oito dias para discutir a mais difícil decisão em oito anos

Paula DE FREITAS FERREIRA
Paula DE FREITAS FERREIRA
"Dizer que a vacinação obrigatória é a resposta para todos os problemas é muito simplista", afirmou o primeiro-ministro, que quer uma decisão aprovada por maioria e assente em questões científicas e não políticas. Parecer do grupo de especialistas deverá estar pronto ainda esta semana.

O debate sobre a vacinação obrigatória no Luxemburgo vai ter lugar dentro de oito dias no Parlamento, prometeu Xavier Bettel. Uma decisão controversa que levou o primeiro-ministro a confessar que este será um marco no seu mandato. A discussão parlamentar, que foi pedida a 29 de dezembro, deverá assim ter lugar na próxima "quarta ou quinta-feira", avançou Bettel.

"Em oito anos, esta será uma das decisões mais difíceis em que participarei e que deve ficar decidida", disse o Primeiro-Ministro aos deputados na terça-feira, ao concluir o seu discurso sobre a introdução da vacinação obrigatória no Luxemburgo. 

E porquê? Porque "é uma questão ética. É uma questão difícil", acrescentou, citado pela RTL.

Nas palavras que dirigiu aos deputados, Bettel lembrou também que a decisão deverá ser tomada tendo como base "factos médicos; ouvindo virologistas e cientistas e analisando as questões éticas e legais e todas as outras facetas", explicou.


Gilbert Pregno, presidente do Conselho Consultivo dos Direitos do Homem no Luxemburgo.
CovidCheck. "Com o 2G e 3G já entrámos na lógica da vacina obrigatória"
Para o presidente do Conselho Consultivo dos Direitos do Homem, o CovidCheck obrigatório que entra em vigor no dia 15 é uma forma de obrigação vacinal. Para Gilbert Pregno, há que avaliar muito bem os prós e contras da vacinação obrigatória generalizada.

"Passar uma imagem de coesão", pede Bettel

O objetivo, sublinhou o primeiro-ministro, é "passar uma imagem de coesão" sobre a abordagem a ter em relação ao novo coronavírus. E é por isso que tem apelado a uma maioria no voto a favor da vacinação obrigatória no Luxemburgo.

"Gostaria que tivéssemos um amplo consenso no Parlamento: 31-29 seria uma vergonha", estimou. Feitas as contas, isso significa que os 31 membros da maioria do Governo votariam a favor e os 29 da oposição contra. 


Luxemburgo. COPAS defende vacinação geral obrigatória contra a covid-19
O organismo refere que dessa forma evita-se a "estigmatização do setor e de certas categorias de funcionários, enquanto outras pessoas podem não ser visadas" pela vacinação.

A vacinação obrigatória é uma decisão que não recolhe o parecer favorável de todos os cidadãos, por outro lado é apoiada por instituições como a Federação dos Hospitais, a Faculdade de Medicina ou a COPAS.

O principal partido da oposição, o CSV, quer que a obrigação da vacina seja decidida rapidamente, mas Bettel prefere o consenso à rapidez. E uma decisão baseada em dados científicos.

Por isso, o Governo constituiu uma equipa de cinco especialistas independentes para responder às principais questões fundamentais sobre a vacinação obrigatória contra a covid-19 no Luxemburgo. 

Parecer dos especialistas deverá chegar esta semana

Uma lista de perguntas essenciais foi elaborada pelo Executivo e entregue ao grupo de peritos. Essa informação servirá de base para a discussão com os deputados na próxima semana.

Xavier Bettel disse, também na terça-feira, que esses trabalhos de preparação estão a correr bem. "Esperamos ter, esta semana, um parecer", afirmou. Assim que o parecer estiver pronto, os especialistas pretendem apresentá-lo aos deputados da Comissão de Saúde.


Vacinação obrigatória. As questões-chave para Bettel
É preciso avançar já para a vacinação obrigatória? E, se sim, como será com os transfronteiriços? Há questões vitais à espera das respostas de um grupo de peritos para ser lançado o debate público, anunciou hoje o Governo.

No discurso de terça-feira aos deputados, Battel deixou ainda um recado, principalmente dirigido ao CSV: "Não aceito que me digam: 'sou pela obrigação de vacinação. Ponto'. Quero saber o que é que isso significa. Quero saber para quem [a vacinação obrigatória]? Para que faixas etárias? A primeira pergunta é: Precisamos disso? Essa é a pergunta que gostaríamos que fosse decidida pelas pessoas que não fazem política, mas que conhecem o assunto", afirmou Xavier Bettel.

"Dizer que a vacinação obrigatória é a resposta para todos os problemas é muito simplista" frisou. “Todos sabemos que a vacinação não é garantia de que o vírus desaparecerá da noite para o dia”, mas "poderá ser mais uma forma de ajudar a reduzir formas graves da doença", disse Bettel.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O primeiro-ministro declarou que vai seguir as recomendações dos peritos que defendem também a vacinação dos profissionais de saúde e dos cuidadores. Após o debate parlamentar, o projeto de lei deverá ser apresentado o mais rápido possível.
O primeiro-ministro Xavier Bettel quer avançar com a obrigação vacinal em breve.