Escolha as suas informações

Vacinação em Portugal. O seu certificado digital covid não inclui a dose de reforço?
Luxemburgo 3 min. 11.01.2022
Polémica/Luxemburgo

Vacinação em Portugal. O seu certificado digital covid não inclui a dose de reforço?

Polémica/Luxemburgo

Vacinação em Portugal. O seu certificado digital covid não inclui a dose de reforço?

Foto: John Schmit
Luxemburgo 3 min. 11.01.2022
Polémica/Luxemburgo

Vacinação em Portugal. O seu certificado digital covid não inclui a dose de reforço?

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Há queixas de quem reside no Luxemburgo e foi vacinado em Portugal com a dose única da Janssen e recebeu já a dose de reforço, mas esta não surge atualizada no certificado digital de vacinação. Um problema que está a afetar a vida de alguns imigrantes. Portugal diz estar a resolver o problema.

Paulo vive no Luxemburgo mas tomou a vacina da Janssen em Portugal. Como esta vacina é de administração única este português decidiu, numa ida a Portugal, ir ao sistema de Casa Aberta e receber a dose de reforço em dezembro. Só que no seu certificado digital de vacinação, o booster surge como segunda dose normal e não como dose de reforço contra a covid-19.

Um problema que está a limitar a vida deste português no Grão-Ducado, por causa da imposição do sistema CovidCheck 2G+, que já exige a dose de reforço vacinal (esquema de três doses) para aceder aos estabelecimentos do setor da Horeca, sem necessidade de realização de testes à entrada. 

"Tenho a vacinação completa porque a vacina da Janssen é de dose única, e a dose de reforço recebida há cerca de um mês, mas não posso ir livremente ao restaurante, nem ao café, pois o meu certificado indica apenas duas doses da vacinação. Eu já mostrei o cartão impresso com a dose de reforço mencionada, que nos dão nos centros de vacinação, mas de nada vale, porque não está inserida no QR Code do certificado digital. No meu certificado digital está apenas 2/2 como se tivesse apenas as duas doses vacinais normais", queixa-se ao Contacto Paulo. "Já desisti de ir ao restaurante e aos locais com CovidCheck 2G+ pois tenho o reforço, mas mesmo assim, sou obrigado a fazer testes à porta", vinca esta português considerando a situação "injusta".

"Como eu devem existir outros portugueses no Luxemburgo que receberam a Janssen em Portugal a viver o mesmo problema", perspetiva.


Intervalo de tempo entre vacinação completa e reforço passa para três meses
Intervalo passa de quatro para três meses para quem tomou vacina da Pfizer, Moderna ou combinação da AstraZeneca com uma das anteriores. Governo quer dar resposta à propagação rápida da Omicron.

Problema a ser resolvido

Não é só no Luxemburgo. Também em Portugal, há vacinados com a Janssen com queixas idênticas à de Paulo, como referiu o comentador Marques Mendes no seu espaço de opinião da SIC, no domingo passado. O ex-político fez um alerta público às autoridades de saúde para esta falha nos certificados digitais pedindo que a situação seja resolvida rapidamente. Até lá, a Direção- Geral da Saúde deveria dar uma explicação, disse.

O Contacto questionou o Ministério da Saúde de Portugal sobre as situações concretas como as de Paulo e o problema está a ser resolvido. Não só para o caso da Janssen, mas para todas as doses de reforço em geral. "O Ministério da Saúde está a concluir os desenvolvimentos tecnológicos que permitem tornar visível  no certificado digital a menção à administração da dose de reforço da vacina contra a covid-19, o que acontecerá no momento da entrada em vigor das novas regras sobre acesso a discotecas, grandes eventos, e visitas a lares e hospitais", que entrou em vigor a 10 de janeiro em Portugal.

Enquanto a dose de reforço não estiver devidamente assinalada no certificado digital há outras possibilidades, vinca esta entidade. "Adicionalmente, a demonstração da administração de uma vacina de reforço pode ser realizada mediante a apresentação de cartão de vacinação ou boletim de vacinas eletrónico, disponível na aplicação móvel SNS24".


Vacinados há menos de seis meses dispensados de teste para aceder a cafés e restaurantes
Proposta do Governo será votada esta semana pelos deputados. Haverá ainda alterações no que respeita ao período de isolamento e à validade dos certificados de vacinação.

No caso do Luxemburgo, Paulo volta a alertar que os locais do CovidCheck 2G+ não consideram válida a apresentação do referido cartão de vacinação em papel, apenas vale o código QR do certificado digital. A 11 de dezembro, "continuo sem ter o meu certificado digital atualizado", lamenta Paulo.

Reforço há mais de 14 dias

As novas medidas anticovid em Portugal isentam de testes de rastreio e isolamento os cidadãos com a dose de reforço vacinal contra a covid-19 realizada há mais de 14 dias. A dose de reforço ficará assinalada no certificado digital 14 dias após a administração do reforço, indica a Direção-Geral de Saúde.

No caso de Paulo e dos portugueses radicados no Luxemburgo que optaram por se vacinar em Portugal, quem tenha recebido a dose de reforço há mais de 14 dias deverá ter o seu certificado digital já atualizado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas