Escolha as suas informações

Vírus dos cavalos. Há cinco casos de EHV-1 no Luxemburgo
Luxemburgo 13.04.2021

Vírus dos cavalos. Há cinco casos de EHV-1 no Luxemburgo

Vírus dos cavalos. Há cinco casos de EHV-1 no Luxemburgo

AFP
Luxemburgo 13.04.2021

Vírus dos cavalos. Há cinco casos de EHV-1 no Luxemburgo

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Nenhum dos animais afetados pelo vírus morreu no Grão-Ducado.

Há atualmente no Luxemburgo cinco casos de infeções em cavalos pelo vírus EHV-1, confirmou o Governo. Esta forma de "influenza" pode causar febre alta, problemas neurológicos, abortos, e é potencialmente letal. 

Com casos confirmados por toda a Europa, nomeadamente, Espanha, França, Bélgica e Alemanha, ainda não causou nenhum óbito no Grão-Ducado, o que não diminuiu a preocupação do Ministério da Agricultura perante este vírus altamente contagioso.

Em resposta a uma pergunta parlamentar ao deputado Gusty Graas (DP), o Ministro da Agricultura, Viticultura e Desenvolvimento Rural, Romain Schneider, lembrou que as medidas a aplicar nestes casos são de "natureza preventiva", que se aplicam em geral às doenças virais,   e cada tratador é o responsável máximo do animal. A saber, estas medidas passam pela vacinação, cuidado redobrado com higiene, restrição de circulação, quarentena ou isolamento de cavalos suspeitos. 

Com as medidas sanitárias em vigor por causa da pandemia, o governo lembra que também os torneios equestres estão suspensos, facilitando o controlo de um surto. No calendário oficial, nenhum torneio equestre internacional está planeado antes do final de agosto no Luxemburgo. Até lá, as autoridades esperam que o vírus esteja erradicado do país.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Ministra da Saúde garante que o vírus no Luxemburgo não é um problema lusófono
António Gamito, Embaixador de Portugal no Grão-Ducado, a ministra da Saúde luxemburguesa, Paulette Lenert, e o embaixador de Cabo Verde no Grão-Ducado, Carlos Semedo, deram esta segunda-feira uma conferência de imprensa no Ministério da Sáude, direcionada para os lusófonos, na qual pediram aos membros da comunidade residente no país para continuarem a cumprir as medidas preconizadas no combate ao coronavírus.