Escolha as suas informações

Unicef: Luxemburgo é um dos países com maiores desigualdades entre as crianças
Luxemburgo 2 min. 14.04.2016

Unicef: Luxemburgo é um dos países com maiores desigualdades entre as crianças

Unicef: Luxemburgo é um dos países com maiores desigualdades entre as crianças

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 2 min. 14.04.2016

Unicef: Luxemburgo é um dos países com maiores desigualdades entre as crianças

O Luxemburgo é um dos países com piores indicadores quanto à desigualdade das crianças com menores rendimentos, revela um relatório da Unicef que analisou 41 países da União Europeia e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

O Luxemburgo é um dos países com piores indicadores quanto à desigualdade das crianças com menores rendimentos, revela um relatório da Unicef que analisou 41 países da União Europeia e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

O relatório "Equidade entre as crianças" compara as desigualdades entre as crianças nascidas em famílias com maiores rendimentos e as que têm rendimentos mais baixos. O estudo sublinha que apesar de o Luxemburgo ser "o país da União Europeia com os rendimentos mais elevados por pessoa", está entre os países com maiores desigualdades, ficando no último terço da classificação geral.

No 'ranking' divulgado hoje, que tem em conta a desigualdade nos rendimentos, educação, saúde e satisfação com a vida, o Grão-Ducado ocupa o 29° lugar na tabela, atrás de Portugal, que é 19°. Os países com menos desigualdades são os países escandinavos, sendo os primeiros lugares da tabela ocupados pela Dinamarca (em 1°), Finlândia (2°) e Noruega (3°).

O Luxemburgo tem a pior nota nas desigualdades na educação, onde é 33° entre 37 países (atrás de Portugal, que é 19°). Aqui, o relatório recomenda o reforço do aconselhamento personalizado dos alunos e defende a gratuitidade das actividades extra-curriculares organizadas pelas escolas, alertando ainda para as dificuldades com as línguas. Para a Unicef, é necessário "garantir que a falta de competência numa das línguas oficiais utilizadas no ensino não se torne um obstáculo no sucesso escolar".   

O Grão-Ducado também vem nos últimos lugares da tabela quanto à satisfação com a vida entre as crianças com estatuto sócio-económico mais baixo: aqui, é o 32° de 35 países, ficando novamente atrás de Portugal, que é 18º. 

Quanto à desigualdade na saúde, o Luxemburgo é 29° numa lista de 35 países, um indicador em que Portugal ocupa a 7ª posição, atrás da Áustria, Alemanha, Suíça, Noruega, Dinamarca e Finlândia, refere o relatório. Segundo o estudo, mais de 25% das crianças no Grão-Ducado se queixam de um ou mais problemas de saúde todos os dias.

O relatório analisou ainda a desigualdade quanto à alimentação saudável, um indicador em que o Luxemburgo também está nos piores lugares da tabela. O estudo aponta que "as crianças na categoria sócio-económica mais baixa têm 20% mais de probabilidades de consumir menos fruta e legumes que os seus pares" no Luxemburgo. 

É só na desigualdade de rendimentos que o Luxemburgo sai dos últimos lugares, ficando em 9° lugar. Apesar disso, nas restantes categorias o Grão-Ducado é um dos países com maiores desigualdades entre as crianças de famílias com mais rendimentos e as que têm rendimentos mais baixos. 

A fim de melhorar o bem-estar das crianças, o relatório propõe aos governos que considerem como prioritário proteger os rendimentos dos agregados familiares das crianças mais pobres e promover o sucesso escolar das crianças mais desfavorecidas.

A Unicef propõe ainda aos governos que apoiem estilos de vida saudáveis para todas as crianças e coloquem a equidade no centro das agendas relativas ao bem-estar das crianças.


Notícias relacionadas