Escolha as suas informações

Uma 'vida decente'. De quanto precisa uma família por mês para viver no Luxemburgo?
Luxemburgo 3 min. 04.08.2020

Uma 'vida decente'. De quanto precisa uma família por mês para viver no Luxemburgo?

Uma 'vida decente'. De quanto precisa uma família por mês para viver no Luxemburgo?

Foto: Pixabay
Luxemburgo 3 min. 04.08.2020

Uma 'vida decente'. De quanto precisa uma família por mês para viver no Luxemburgo?

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A "soma é elevada" para se levar uma 'vida decente' e muitas famílias não conseguem chegar a estes montantes mensais calculados pelo Statec. Veja os orçamentos mensais de referência para cada tipo de agregado familiar.

O Grão-Ducado continua a atrair emigrantes todos os anos pelas oportunidades de trabalho e pelos salários elevados, basta referir que o salário mínimo é o mais alto da União Europeia, e o salário médio também se encontra entre os mais elevados. 

Contudo, o custo de vida é cada vez mais caro, nomeadamente o preço da habitação, e o trabalho temporário e precário está a aumentar. Resultado: o Luxemburgo tornou-se um país de grandes disparidades e o Estado-membro da União Europeia onde existem mais trabalhadores em risco de pobreza, de acordo com o Eurostat.  

"De quanto precisamos para viver, com dignidade, no Luxemburgo e participar ativamente na sociedade?". "Uma família com dois filhos necessita de, pelo menos, 4.215 euros por mês para viver decentemente no Luxemburgo", frisa ao Paperjam Serge Allegrezza, diretor do Instituto Nacional de Estatística e de Estudos Económicos do Grão-Ducado (Statec). Anualmente, este instituto elabora o "Relatório sobre Trabalho e Coesão Social" onde coloca esta questão, sendo a resposta dada através do indicador, o 'orçamento de referência', para um "nível de vida decente" no país.

No estudo de 2019 foi este o orçamento mensal de 4.215 necessário para uma família com dois filhos no Luxemburgo, segundo esta permissa. "Esta é uma soma elevada, o que nos faz dizer que muitas famílias não são capazes de satisfazer estas necessidades para uma vida decente", sublinha à edição online daquela revista Serge Allegrezza.

Neste orçamento mensal de referência, como se pode ver no quadro acima, estão representados e discriminados todos os bens e serviços que "um determinado tipo de agregado familiar necessita para satisfazer todas as suas necessidades básicas".

A habitação e todas as despesas com ela relacionadas, como o gás, eletricidade, e a alimentação são as responsáveis pelos maiores gastos do orçamento. No caso da família com duas crianças, os gastos com habitação rondam os 39% (1651 euros) e a alimentação os 24% (1004 euros).


Quanto custa ter uma criança no Luxemburgo? Mais de 300 euros por mês
Valores ultrapassam os 300 euros por mês e até aos seis anos, a fase dos 18 meses é a mais dispendiosa, diz o gabinete de estatísticas do Luxemburgo, Statec.

 Famílias monoparentais 

Nas famílias monoparentais é mais difícil ainda suportar os gastos mensais. De acordo com o estudo do Statec, uma mulher com uma adolescente de 14 anos, a seu cargo, nomeadamente mãe e filha, necessita de um orçamento mensal de 2879 euros para "viver com dignidade" no Luxemburgo, enquanto um homem com um filho de 10 anos a seu cargo necessita de um orçamento 2805 euros.

Pelas contas do Statec, nos dois casos os gastos na habitação são idênticos, 1399 euros. Já em alimentação, a mulher gasta 521 euros e o homem 479 euros.

Para quem vive sozinho o orçamento é mais confortável. No caso de ser um homem precisa de 2115 euros mensais, gastando 1146 com as despesas de habitação e 316 em alimentação. Uma mulher sozinha gasta o mesmo em alojamento, mas menos em alimentação, 243 euros. Nestes dois casos sobra mais dinheiro para gastar em roupas e vida social por exemplo, não tendo ainda de despender dinheiro para as atividades escolares dos filhos.

No Luxemburgo, metade dos agregados familiares (49,6%) dispõe de um orçamento mensal inferior a 5000 euros por mês, destes 10,4% situa-se entre os 1500 euros e os 2500 euros por mês, e 6,9% tem um rendimento inferior a 1500 euros mensais, indica este relatório do Statec. Do outro extremo, 10,6% dos agregados possuem um rendimento mensal igual ou superior a 12 mil euros.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas