Escolha as suas informações

Um em cada quatro trabalhadores beneficia de regalias extra-salário
Luxemburgo 06.05.2019 Do nosso arquivo online

Um em cada quatro trabalhadores beneficia de regalias extra-salário

Um em cada quatro trabalhadores beneficia de regalias extra-salário

Luxemburgo 06.05.2019 Do nosso arquivo online

Um em cada quatro trabalhadores beneficia de regalias extra-salário

Susy MARTINS
Susy MARTINS
As regalias extra-salário são concedidas pelas empresas para atrair e fidelizar os trabalhadores.

26% dos trabalhadores do Luxemburgo receberam parte do seu ordenado em regalias extras, em 2018. 18% usufruíram de vales de refeição e almoços gratuitos nas cantinas e 8% até puderam usar o carro da empresa em benefício pessoal. O apuramento destes dados resulta de um inquérito (EU-SILC) realizado pelo serviço nacional de estatística (Statec).

Segundo o Statec, há grandes disparidades nos diferentes setores e quadros profissionais. O setor dos serviços é o que atribuiu mais regalias extra (28%). Na indústria e na construção, a percentagem não vai além dos 14%. As maiores empresas são as que concedem mais regalias desta natureza. A título de exemplo, 29% dos trabalhadores de uma empresa que emprega, por exemplo, mais de 50 pessoas beneficiam de mais regalias que outra que emprega menos de 20 pessoas (22%).

Ao mesmo tempo, 48% dos beneficiários estão ligados à direção de uma empresa, face aos 40% que exercem uma profissão intelectual. Estas regalias são menos aplicadas aos administrativos (26%) e aos trabalhadores manuais (12%).

Na comparação entre os géneros, 31% dos homens beneficiaram desta regalia, contra 21% das mulheres, em 2018. Os homens representam dois terços dos dirigentes das empresas e 54% das profissões intelectuais superiores. Em contrapartida, as mulheres são maioritárias no setor administrativo (60%) mas têm menos regalias para lá do salário.

De referir, ainda, que os trabalhadores com contrato por tempo indeterminado (CDI) têm quatro vezes mais hipóteses de usufruir dessas vantagens, para lá do salário, do que aqueles que têm um contrato de trabalho temporário (CDD).


Notícias relacionadas