Escolha as suas informações

Breves Luxemburgo 18.07.2019

ULC diz que preço dos bilhetes para ver os Rammstein é uma “fraude”

A banda alemã Rammstein vai atuar no domingo, em Roeser, no descampado Herchesfeld. Os bilhetes custam 100 euros e esgotaram “em poucas horas”.

A União Luxemburguesa dos Consumidores (ULC) qualifica os preços dos bilhetes de “fraude”.

A ULC considera, em comunicado, que se trata “de um aproveitamento dos jovens, fãs da música da banda de rock”.

À entrada para o concerto, promovido pelo Den Atelier, acresce ainda “pelo menos 20 euros para quem queira estacionar o carro nas imediações do espetáculo”, denuncia ainda a ULC.

Breves Economia por Redação 28.02.2020

Gasolina 98 desce a partir da meia-noite

A gasolina 98 vai descer a partir da meia-noite. A descida será significativa: de 6,4 cêntimos, para 1,26 euros.

Breves Luxemburgo 27.02.2020

Gasóleo e gasolina 95 vão ficar mais baratos

A gasolina sem chumbo 95 e o gasóleo vão baixar, a partir desta sexta-feira.

A queda é de 3,1 cêntimos por litro para ambos os combustíveis.

Assim, a partir da meia-noite, o gasóleo passa a custar 1,084 euros por litro. 

Já o preço da gasolina de 95 octanas cai para 1,194 euros por litro.  

Breves Luxemburgo 27.02.2020

Transportes gratuitos já a partir de sábado

(MP) - Afinal não é no domingo mas sim no sábado que a rede de transportes públicos se torna gratuita no Luxemburgo.

O anúncio foi hoje feito pelo ministro da Mobilidade, François Bausch, que antecipou assim de um dia a gratuitidade dos transportes.

O Grão-Ducado vai ser o primeiro país no mundo a ter uma rede de autocarros, comboios e elétricos acessível gratuitamente a todos os utentes, quer sejam residentes ou não.

Breves Economia 27.02.2020

Vinte e sete empresas ao abrigo do desemprego parcial em fevereiro

(RL/HB) - Vinte e sete empresas obtiveram este mês o aval do Comité de Conjuntura para beneficiar do chamado desemprego parcial, em março.

O comité analisou 30 pedidos, menos um do que mês anterior.

Nestas 27 empresas há 2.227 trabalhadores hipoteticamente abrangidos pelo desemprego parcial.

Caso essas empresas necessitem aplicar o acordo hoje concedido, ou seja, que os trabalhadores vejam a sua carga horária reduzida, por falta de pedidos de produção, o Fundo para o Emprego terá de desbloquear cerca de dois milhões e oitocentos mil euros.

Note-se que os patrões que recorrem ao desemprego parcial comprometem-se a não despedir por razões económicas. Em troca, o Estado reembolsa 80% dos salários normalmente atribuídos no período em que os trabalhadores entram em folga forçada.

A próxima reunião do Comité de Conjuntura está agendada para dia 24 de março.