Escolha as suas informações

Trump pede a Merkel que seja contundente com "conduta perigosa" do Irão
Luxemburgo 2 min. 28.06.2019

Trump pede a Merkel que seja contundente com "conduta perigosa" do Irão

Donald Trump e Angela Merkel.

Trump pede a Merkel que seja contundente com "conduta perigosa" do Irão

Donald Trump e Angela Merkel.
Foto: Bernd von Jutrczenka/dpa
Luxemburgo 2 min. 28.06.2019

Trump pede a Merkel que seja contundente com "conduta perigosa" do Irão

As tensões no Golfo Pérsico e as "atividades perigosas do Irão no Médio Oriente" dominaram a conversa entre Trump e Merkel.

O Presidente dos Estados Unidos pediu hoje à chanceler alemã, Angela Merkel, para ser mais contundente em relação "à perigosa" conduta do Irão, durante um encontro bilateral à margem da cimeira do G20 em Osaka, Japão.

"O Presidente pediu que a chanceler Merkel se junte aos Estados Unidos para manter o Irão sob máxima pressão global", disse a Casa Branca na conta oficial na rede social Twitter, após a reunião.

Tal como a UE, a Alemanha defendeu contenção perante a crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irão nos últimos dois meses e que resultam da decisão de Donald Trump, em 2018, de retirar os EUA do acordo nuclear com Teerão.

Foto: AFP

A Alemanha, uma das cinco potências que assinaram o pacto de 2015, tentou convencer Teerão a permanecer no acordo, apesar da reimposição de sanções norte-americanas.

Em maio, o Governo iraniano anunciou a suspensão de alguns dos compromissos nucleares e deu à UE um ultimato para garantir os interesses de Teerão, caso contrário aumentaria os limites do enriquecimento de urânio.

O pacto assinado em Viena em 2015 entre o Irão e os 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, EUA, França, Reino Unido, Rússia e China, mais a Alemanha) limita o programa nuclear iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais.

As tensões no Golfo Pérsico e as "atividades perigosas do Irão no Médio Oriente" concentraram grande parte do diálogo entre Trump e Merkel, de acordo com um comunicado da Casa Branca.

Foto: Bernd von Jutrczenka/dpa

Os dois líderes discutiram também "como estabilizar a Líbia e a região do Sahel, apoiar reformas económicas na Ucrânia", bem como as "negociações com a China" para conter a guerra comercial entre Washington e Pequim, de forma a "estabelecerem-se padrões justos para o comércio global", indicou a mesma nota.

A relação entre Trump e Merkel tem sido notavelmente fria nos últimos dois anos, mas o Presidente dos Estados Unidos elogiou a governante antes mesmo da reunião.

"Ela é uma pessoa fantástica, uma mulher fantástica, e eu estou feliz por ela ser minha amiga", afirmou, enquanto Merkel lembrou a Trump que "as empresas alemãs estão a investir muito nos Estados Unidos".

Criado em 1999, o G20 integra os ministros das Finanças e governadores dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo e da UE.


Notícias relacionadas

Estados Unidos abandonam acordo nuclear com Irão
O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou hoje que os Estados Unidos abandonam o acordo nuclear assinado entre o Irão e o grupo dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha.
US President Donald Trump signs a document reinstating sanctions against Iran after announcing the US withdrawal from the Iran Nuclear deal, in the Diplomatic Reception Room at the White House in Washington, DC, on May 8, 2018. / AFP PHOTO / Saul LOEB / ALTERNATIVE CROP
Berlim, Paris e Londres enviam mensagem a Trump
"Não às taxas comerciais ou a Europa irá defender-se", defenderam Merkel, Macron e May, segundo nota divulgada pelo Executivo alemão. E os três líderes defendem o acordo nuclear com o Irão.
Hoje: Trump e Merkel reúnem-se em Washington
A chanceler alemã, Angela Merkel, reúne-se hoje em Washington com o novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para um primeiro contacto que surge num momento de alívio para a Europa, com a derrota da extrema-direita holandesa
Trump et Merkel