Escolha as suas informações

Tripartida do outono já começou a ser preparada
Luxemburgo 3 min. 26.08.2022
Inflação

Tripartida do outono já começou a ser preparada

Representantes dos sindicatos
Inflação

Tripartida do outono já começou a ser preparada

Representantes dos sindicatos
Foto: SIP
Luxemburgo 3 min. 26.08.2022
Inflação

Tripartida do outono já começou a ser preparada

Thomas BERTHOL
Thomas BERTHOL
Governo compromete-se a passar informação aos sindicatos a cada 15 dias.

Como responder à inflação e ao aumento dos custos de energia? Antes da nova tripartida do outono, o Governo recebeu na quinta-feira os sindicatos e empregadores, para uma primeira ronda de discussões. Um segundo encontro já está previsto para 14 de setembro, de acordo com os sindicatos. 

"É importante dar-nos tempo para analisar e discutir tudo, a fim de eventualmente chegar a um acordo", explicou Romain Wolff, presidente da CGFP, no final da reunião. De acordo com o representante da função pública, o Executivo está recetivo a ouvir as partes. 

Wolff explicou que a tripartida precisava de mais tempo de preparação, por isso mesmo, estes encontros são muito importantes para garantir que os dados fornecidos pelo Statec são "fiáveis".

O gabinete de estatísticas previu recentemente uma nova tranche do 'index' ainda este ano. 


Salários podem aumentar ainda este ano
Previsão é do Statec. Governo e parceiros sociais deverão voltar a sentar-se à mesa das negociações.

"Durante esta primeira troca, os números ainda não foram discutidos, o que não é uma surpresa", disse Nora Back, presidente da OGBL, que saudou a iniciativa do Governo de querer iniciar as discussões tripartidas de uma forma "preparada". Segundo Back, o próprio primeiro-ministro, Xavier Bettel, insistiu que a "análise deve ser partilhada".

A presidente disse também que o líder do Governo vai manter os sindicatos informados a cada 15 dias, dado o contexto económico volátil. "Esta parece-me ser a forma ideal para começar a encontrar soluções. Estamos abertos ao diálogo e queremos encontrar soluções, mas não devemos polvilhar as empresas com ajudas e ficar à margem de qualquer discussão relacionada com o índice", sublinhou a sindicalista. Note-se que a OGBL recusou-se a assinar o acordo da última reunião tripartida em abril por causa do adiamento do 'índex' de julho para o próximo ano. 

"Se um novo índex voltar a cair antes do final do ano, não há dúvida de que será adiado novamente", disse Nora Back. Mas para o presidente do sindicato da Função Pública, se for o caso, esta nova parcela deve ser aplicada já este ano.


Bettel: "Governo não vai deixar ninguém à chuva"
Primeiro-ministro reagiu às previsões do Statec que antecipa uma nova indexação dos salários ainda este ano.

 "Nos últimos dez anos, foram pagas seis parcelas de indexação no total, ou seja, muito menos de uma por ano. Não se trata, portanto, de um encargo excessivo para as empresas. Recentemente, os próprios representantes dos empregadores garantiram que o pagamento de uma parcela anual do índex era gerível", disse a CGFP em comunicado enviado na quinta-feira.

Por sua vez, o presidente da LCGB, Patrick Dury, manteve-se favorável ao 'índex' sem tomar ainda uma posição sobre a questão de um possível adiamento. Contudo, os três sindicatos são unânimes no pedido de uma análise da situação económica do país. "Em particular em relação à inflação e às finanças do Estado", disse Dury. 

"O Governo está comprometido em fornecer esses dados", confirmou ainda Nora Back. Essa análise será apresentada aos sindicatos e empregadores na nova reunião preparatória marcada para 14 de setembro. No mesmo dia, os patrões também voltarão a reunir, indicou Michel Recinger, presidente da União das Empresas Luxemburguesas (UEL)


Index. "Patrões não vão ter de pagar várias tranches ao mesmo tempo"
Se houver uma nova tranche este ano, como previsto pelo Statec, obrigaria as empresas a terem de pagar duas parcelas em simultâneo.

Recinger afirmou que Governo e patrões falaram por quase duas horas sobre a evolução da situação económica do país. "Se concordarmos com os números e os resultados, estou convencido de que podemos encontrar soluções, se todos estiverem prontos", espera Recinger.

Para o presidente, o acordo selado em abril ainda está a valer, mas se uma nova parcela do índex cair antes do final do ano, uma nova tripartida terá que ser convocada. 

A publicação de novos dados do Statec no início de setembro é, portanto, o próximo passo no avanço deste diálogo social.

(Artigo original publicado na edição francesa do Luxemburger Wort.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Governo reuniu-se esta manhã, no castelo de Senningen, com os parceiros sociais, ou seja sindicatos e patronato. No encontro foi discutido o impacto social, financeiro e económico da crise causada pela pandemia de covid-19. Os primeiros a serem recebidos pelo Executivo foram os sindicatos, seguidos depois pelas organizações patronais.