Escolha as suas informações

Treze autarcas defendem a abertura de fronteiras entre o Luxemburgo e a Alemanha
Luxemburgo 14.04.2020 Do nosso arquivo online

Treze autarcas defendem a abertura de fronteiras entre o Luxemburgo e a Alemanha

Treze autarcas defendem a abertura de fronteiras entre o Luxemburgo e a Alemanha

Foto: Pierre Matgé
Luxemburgo 14.04.2020 Do nosso arquivo online

Treze autarcas defendem a abertura de fronteiras entre o Luxemburgo e a Alemanha

Os representantes das treze comunas que estão na linha que separa o Luxemburgo da Alemanha denunciaram o facto de "o encerramento das fronteiras pôr em perigo o projeto europeu". Esta posição foi tornada pública através de uma carta aberta aos governos da Renânia-Palatinado e do Sarre.

São treze os municípios - seis luxemburgueses e sete alemães - limítrofes do Grão-Ducado e da Alemanha que decidiram falar a uma só voz através de uma carta aberta dirigida aos primeiro-ministros da Renânia-Palatinado, Malu Dreyer, e do Sarre, Tobias Hans, manifestando o desapontamento com o encerramento de fronteiras provocados pela crise do novo coronavírus.

De acordo com Luxemburger Wort, os autarcas lembraram que "a UE foi criada, entre outras coisas, com o objetivo de, em conjunto, ser capaz de encontrar soluções mais eficazes em situações de crise como a atual pandemia" e lamentam que, "infelizmente, esteja a acontecer exatamente o contrário" com a constatação de que muitos Estados "estão a cair novamente em velhos padrões de comportamento (...) para encontrar uma saída para a crise".


Lok , Autobahn Richtung Trier , hinter Wasserbillig , Raststätte Markusbierg , Deutsche Polizei kontrolliert Autos wegen Coronavirus , Sras-CoV-2 , und schickt alle nichtberechtigten zurück , Foto:Guy Jallay/Luxemburger Wort
Controlo na fronteira alemã leva "transfronteiriços" a regularizar morada oficial
O Luxemburgo não coloca entraves à passagem dos transfronteiriços, mas as autoridades da Alemanha, França ou Bélgica poderão colocar problemas a quem mora do outro lado da fronteira, mas mantém o endereço oficial no Grão-Ducado.

Os treze representantes eleitos insistem e salientam que 75 anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, "estes controlos fronteiriços reforçados" são vistos por muitos cidadãos da Grande Região como "pesados e simbolicamente inadequados". E, dado que as medidas de contenção são mais rigorosas no Luxemburgo do que na Alemanha, não existe "qualquer perigo especial para o trânsito na direção do Grão-Ducado para a República Federal", segundo os presidentes de câmara, que solicitam explicitamente aos dois primeiro-ministros que "trabalhem no sentido da reabertura das fronteiras, da supressão dos controlos fronteiriços e da reabertura da ligação por ferry entre Wasserbillig e Oberbillig".


Europa começa aos poucos a levantar medidas de confinamento
Um "novo normal" começa esta semana, com vários países a aligeirar medidas de confinamento desde terça-feira. O Luxemburgo anuncia dentro de dias o seu plano de saída.

Os treze autarcas signatários são dos municípios de Wasserbillig, Grevenmacher, Wormeldange, Stadtbredimus, Remich e Schengen, no Luxemburgo, e de Wasserliesch, Oberbillig, Temmels, Wellen, Nittel, Wincheringen e Palzem, do lado alemão.

Recorde-se que, já na quinta-feira passada, os seus homólogos de Rosport (Luxemburgo) e Ralingen (Alemanha), dois municípios situados em frente um do outro em cada margem do Sûre, tinham redigido uma carta semelhante.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas