Escolha as suas informações

Treinadores portugueses querem fazer história na Taça
Luxemburgo 2 min. 03.04.2019 Do nosso arquivo online

Treinadores portugueses querem fazer história na Taça

Dudelange e Mondorf vão lutar hoje por um lugar nas meias finais, a partir das 20h.

Treinadores portugueses querem fazer história na Taça

Dudelange e Mondorf vão lutar hoje por um lugar nas meias finais, a partir das 20h.
Foto: Stéphane Guillaume
Luxemburgo 2 min. 03.04.2019 Do nosso arquivo online

Treinadores portugueses querem fazer história na Taça

Paulo Gomes, Manuel Correia e Pedro Resende envolvidos nos duelos desta noite.

São três os treinadores portugueses envolvidos esta quarta-feira nos quartos de final da Taça do Luxemburgo em futebol: Paulo Gomes, do Mondorf-les-Bains, Manuel Correia, do UNA Strassen, e Pedro Resende, do Victoria Rosport. O denominador comum é a vontade de passar às meias-finais do troféu que nenhum deles ainda venceu, mas que sonham conquistar.

Teoricamente, o que tem a tarefa mais complicada é Paulo Gomes que se desloca ao terreno do F91 Dudelange, detentor do troféu. Um encontro “difícil” para o treinador luso que considera a data “desajustada” em relação ao dia do jogo.

“Tenho jogadores que se levantam às seis da manhã para ir trabalhar e saem ao final da tarde, enquanto o Dudelange conta com um plantel formado por jogadores profissionais”, protesta. E insiste: “Não é justo. As condições não são iguais para as duas equipas. Devíamos jogar ao domingo, como no campeonato, e aí estaríamos em pé de igualdade. Jogar a meio da semana é sempre complicado”, argumenta.

As duas equipas já se encontraram duas vezes no campeonato, com uma vitória para cada uma. Na primeira volta, o Mondorf venceu em Dudelange por 4-1 e perdeu em casa por 1-2. Para Paulo Gomes, os dois jogos foram “equilibrados”, embora o técnico português reconheça que, esta quarta-feira, “o Dudelange é, naturalmente, o grande favorito”.

Finalista há dois anos, precisamente contra o F91 Dudelange, o Mondorf perdeu o troféu (0-1), mas Paulo Gomes não vê o confronto de hoje como uma vingança e esclarece: “Esse jogo pertence ao passado. Espero que a minha equipa possa estar num bom dia. As equipas conhecem-se e respeitam-se. Penso que vai ser um jogo de grande qualidade”, remata.

Manuel Correia, treinador do Strassen, desloca-se a Ettelbruck e prevê grandes dificuldades: “O Etzella é uma equipa muito difícil a jogar em casa. Tem feito um bom campeonato e eliminou a Jeunesse na última jornada. Temos de estar muito concentrados e fazer um excelente jogo para tentar ganhar e seguir em frente”, resume.

O treinador português destaca: “Esta é uma oportunidade para chegar mais perto da final e tentar fazer história porque o clube nunca jogou as meias finais da taça. Embora a final nunca tenha sido um objetivo traçado pelo clube no início da temporada, já que estamos tão perto temos de agarrar esta oportunidade com todas as forças e vencer”, conclui.

O Rosport, orientado por Pedro Resende, desloca-se ao terreno do vizinho Mertert-Wasserbillig, que milita na Promoção de Honra, num dérbi que promete emoções fortes. O treinador luso diz-se preparado para “um jogo muito intenso”, no qual “os índices de motivação do adversário serão elevadíssimos”, explica.

“Temos de colocar em campo o nosso melhor futebol para vencer e chegarmos às meias finais. Todos querem ganhar a Taça, porque é um troféu muito especial”, conclui. Á. Cruz

Programa dos 1/4 de final

19h30

- UM Wasserbillig - Rosport

20h00

- Etzella - Strassen

- Dudelange - Mondorf

- Muhlenbach - Progrès

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O treinador português, Pedro Resende, deixou hoje o comando técnico da US Esch, último classificado da Liga BGL de futebol luxemburguesa, a quatro jogos do final do campeonato. Os adjuntos André Vaz e Victor Loureiro também deverão sair, mas o seu futuro no clube ainda é uma incerteza.
Pedro Resende ist nicht mehr Trainer bei US Esch.