Escolha as suas informações

Tráfico de seres humanos. Dois a cinco anos de prisão para organização criminosa que tinha "paragem obrigatória" no Luxemburgo
Luxemburgo 29.06.2020

Tráfico de seres humanos. Dois a cinco anos de prisão para organização criminosa que tinha "paragem obrigatória" no Luxemburgo

Tráfico de seres humanos. Dois a cinco anos de prisão para organização criminosa que tinha "paragem obrigatória" no Luxemburgo

Foto: AFP
Luxemburgo 29.06.2020

Tráfico de seres humanos. Dois a cinco anos de prisão para organização criminosa que tinha "paragem obrigatória" no Luxemburgo

O Tribunal Penal de Bruxelas condenou nove sudaneses e eritreus a penas de prisão de dois a cinco anos por ajudarem a contrabandear migrantes para o Reino Unido.

Dos doze arguidos envolvidos no esquema de tráfico de pessoas que actuou entre o verão de 2018 e a primavera de 2019 entre a Bélgica e o Reino Unido, três foram absolvidos pelo Tribunal Penal de Bruxelas e sete vão ficar atrás das grades dois a quatro anos. 

Cérebros do esquema, os dois homens que "carregavam" camiões com migrantes no Luxemburgo em troca de dinheiro foram condenados a cinco anos prisão. 

Embora a defesa da organização criminosa composta por sudaneses e eritreus tenha alegado que os suspeitos teriam agido em solidariedade com outros migrantes, ajudando-os na travessia, o coletivo de juízes belga deu como provado que as muitas centenas de pessoas que embarcavam nos camiões pagavam um determinada quantia aos traficantes para seguir viagem. 

De Bruxelas para Londres passando por Dudelange 

Segundo a investigação, a rede condenada por tráfico de seres humanos recrutava migrantes num parque em Bruxelas. As vítimas do esquema seguiam depois de comboio até Arlon, na fronteira com o Grão-Ducado. 

Daí eram escoltadas até à proximidades da A3 em Dudelange e Sterpenich, onde embarcavam em camiões na esperança de atravessar o Canal da Mancha e chegar ao Reino Unido. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Desmantelada rede de passadores de migrantes na Bélgica
As autoridades belgas anunciaram ontem ter desmantelado uma rede de passadores de migrantes que operava a partir da capital da Bélgica, Bruxelas, e transportava sudaneses e eritreus para o Reino Unido, muitos deles escondidos em camiões frigoríficos.