Escolha as suas informações

Testes rápidos feitos nas farmácias?
Luxemburgo 03.03.2021

Testes rápidos feitos nas farmácias?

Testes rápidos feitos nas farmácias?

Foto: AFP
Luxemburgo 03.03.2021

Testes rápidos feitos nas farmácias?

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Possibilidade está a ser estudada pelo Governo, mas preocupa alguns deputados.

O Ministério da Saúde já confirmou que está a ser estudada a possibilidade de os farmacêuticos fazerem testes rápidos à covid-19. No entanto, essa possibilidade está a preocupar certos deputados.

Na comissão parlamentar da saúde, um dos deputados frisou que é arriscado as pessoas potencialmente infetadas se deslocarem a uma farmácia para realizarem o teste rápido. E isso durante as horas de abertura ao público, correndo o risco de infetar outras pessoas.

Daí a recomendação de que a realização dos testes rápidos pelos farmacêuticos se faça num outro local, colocado à disposição destes profissionais de saúde. A responsabilidade em encontrar salas vazias para que esses testes à covid-19 possam ser feitos poderá vir a recair sobre as autarquias.

A ministra da Saúde, Paulette Lenert, explicou aos deputados, que estão a ser elaboradas várias pistas quanto à utilização de testes rápidos, uma vez que os testes rápidos e os testes em larga escala são “complementares”.

Na área do desporto, os testes rápidos já são utilizados antes de um jogo. Ora, a ministra da Saúde não descarta a possibilidade que também possam ser introduzidos nos centros de fitness ou durante eventos culturais.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Testes rápidos. Que os há, há, mas serão eficientes?
São “mais difíceis de manusear e menos fiáveis”, mas já estão a circular aos milhares no Luxemburgo. “Sempre complementares”, os testes rápidos antigénios passaram à risca na análise do Laboratório Nacional. Rapidez não é sinónimo de confiança. O risco de um “falso negativo” é real.