Escolha as suas informações

Teste negativo e quarentena para quem chega da Índia ao Luxemburgo
Luxemburgo 04.05.2021

Teste negativo e quarentena para quem chega da Índia ao Luxemburgo

Teste negativo e quarentena para quem chega da Índia ao Luxemburgo

Foto: Luxemburger Wort/Anouk Antony
Luxemburgo 04.05.2021

Teste negativo e quarentena para quem chega da Índia ao Luxemburgo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
No caso dos viajantes que chegam por via aérea podem fazer o teste gratuitamente no aeroporto do Findel.

As autoridades de saúde luxemburguesas decidiram apertar o controlo para os viajantes oriundos da Índia, país duramente atingido pela pandemia nas últimas semanas.

Os números elevados de casos de covid-19 e a circulação da variante indiana, cujo contágio poderá ser mais elevado de acordo com os especialistas, fez com que as autoridades do Luxemburgo tenham optado por medidas mais rígidas para quem viaja deste país asiático.

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, o Governo estipula que todos os passageiros que chegam da Índia têm de fazer o mais rapidamente possível um teste à covid-19 e fazer uma quarentena de sete dias. 

A medida está em vigor desde 1 de maio, e é obrigatória para todos aqueles que estiveram na Índia 14 dias antes da chegada ao Grão-Ducado, incluindo pessoas que passaram por outro país - depois de terem estado na Índia - antes de viajar para o Luxemburgo.

No caso dos viajantes que chegam por via aérea, podem fazer o teste gratuitamente no aeroporto do Findel. Por fim, todos os viajantes oriundos da Índia estão obrigados a declarar à Inspeção Sanitária a sua chegada ao Luxemburgo. As medidas são válidas até pelo menos ao dia 15 de maio. 


Alguns países ponderam conceder privilégios a viajantes que já foram vacinados contra a covid-19.
Portugal mantém Luxemburgo no grupo das viagens essenciais e quarentena obrigatória para outros nove países
Fronteira terrestre com Espanha abriu este sábado, mas o país mantém restrições à entrada de viajantes provenientes de países com mais de 150 casos por 100 mil habitantes.

A Índia atravessa uma segunda vaga da doença, que sobrecarregou o sistema de saúde, com escassez de oxigénios e de camas em grandes cidades como Nova Deli. O país, com 1,3 mil milhões de habitantes, acumulou até à data mais de 222.000 óbitos e 20,3 milhões de casos desde o início da pandemia. Mas alguns peritos consideraram que o número real pode ser muito mais elevado. 

Numa onda de solidariedade, vários países têm prestado ajuda às autoridades indianas, com o envio de equipamento e pessoal médico, incluindo Portugal e o Luxemburgo.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas