Escolha as suas informações

Sociólogo brasileiro ao CONTACTO: "O Governo de Dilma tem sido muito ruim para os povos indígenas"
Luxemburgo 2 min. 03.10.2014

Sociólogo brasileiro ao CONTACTO: "O Governo de Dilma tem sido muito ruim para os povos indígenas"

Carlito Yanomami, Mauro Almeida e Silvio Cavuscens vão estar amanhã no Centro Cultural Abadia de Neumünster, na capital luxemburguesa, para a projecção do documentário "Filhos da Lua"

Sociólogo brasileiro ao CONTACTO: "O Governo de Dilma tem sido muito ruim para os povos indígenas"

Carlito Yanomami, Mauro Almeida e Silvio Cavuscens vão estar amanhã no Centro Cultural Abadia de Neumünster, na capital luxemburguesa, para a projecção do documentário "Filhos da Lua"
Foto: Domingos Martins
Luxemburgo 2 min. 03.10.2014

Sociólogo brasileiro ao CONTACTO: "O Governo de Dilma tem sido muito ruim para os povos indígenas"

A dois dias da primeira volta das eleições presidenciais no Brasil, Silvio Cavuscens não tem dúvidas: Marina Silva é mais sensível às questões ambientais e à preservação dos povos indígenas do Brasil do que a actual presidente, Dilma Roussef. Cavuscens (à dta na foto) é sociólogo, especializado em assuntos dos povos indígenas, e está no Luxemburgo para participar na  apresentação do documentário "Filhos da Lua".

Há mais de 40 anos que Silvio Cavuscens dedica a sua vida à preservação da cultura dos povos indígenas do Brasil. Nasceu na Suíça, mas naturalizou-se brasileiro e é o coordenador-geral da SECOYA, uma associação brasileira que apoia os índios Yanomami.

A dois dias da primeira volta das eleições presidenciais no Brasil, Silvio Cavuscens não tem dúvidas: Marina Silva é mais sensível às questões ambientais e à preservação dos povos indígenas do Brasil do que a actual presidente, Dilma Roussef. 

"Os políticos, os gestores, não ligam para a problemática indígena. Mas nesta eleição a candidata Marina Silva é a que melhor pode defender os interesses dos índios. Ela é mais sensível às questões ambientais e aos problemas dos povos indígenas porque tem um passado nesta área. A Dilma não. O governo da Dilma tem sido muito ruim para os povos indígenas, como em todas as questões sociais", diz Silvio Cavuscens ao CONTACTO.

Silvio Cavuscens está no Luxemburgo a acompanhar a visita de Carlito Yanomani, o chefe de Ixima, uma aldeia dos índios Yanomami, no estado do Amazonas, no Brasil. Ambos vão participar amanhã no debate que se vai seguir à exibição do documentário sobre os índios Yanomami, "Filhos da Lua", do imigrantes português Mauro Almeida, residente no Luxemburgo.

Carlito Yanomami e Silvio Cavuscens, sociólogo especialista nas questões dos povos indígenas
Carlito Yanomami e Silvio Cavuscens, sociólogo especialista nas questões dos povos indígenas
Foto: Domingos Martins

“Filhos da Lua”, que conta com o apoio do Festival de Cinema Brasileiro do Luxemburgo, foi filmado durante uma viagem ao Brasil de Mauro de Almeida, secretário da ONG luxemburguesa Terra dos Homens, que desenvolve projectos para apoiar os índios Yanomami em colaboração com a associação brasileira Secoya.

Em 2013, o secretário da ONG luxemburguesa passou duas semanas no estado de Roraima, no norte do Brasil, e no Amazonas, numa acção de formação de professores nativos apoiada pela ONG luxemburguesa. As filmagens e entrevistas que fez acabariam por despertar o interesse do realizador luxemburguês Fränk Muno, co-autor do documentário.

Carlito Yanomami, chefe de uma aldeia Yanomami, no Brasil, e Mauro Almeida, realizador do documentário "Filhos da Lua"
Carlito Yanomami, chefe de uma aldeia Yanomami, no Brasil, e Mauro Almeida, realizador do documentário "Filhos da Lua"
Foto: Domingos Martins

O documentário "Filhos da Lua" vai ser exibido amanhã pela primeira vez no Luxemburgo, mas a estreia foi nas aldeias Yanomami no Brasil.

Carlito Yanomami, chefe de uma aldeia Yanomami no Brasil
Carlito Yanomami, chefe de uma aldeia Yanomami no Brasil
Foto: Domingos Martins

Domingos Martins


Notícias relacionadas

Hoje às 19h30: Documentário de português no Luxemburgo 
dá voz a índios brasileiros Yanomami
Um emigrante português no Luxemburgo vai apresentar a 4 de Outubro um documentário sobre os índios Yanomami, um povo indígena no Brasil. Filmado "com uma máquina fotográfica de 50 euros e um microfone que funciona às três pancadas", o projecto de Mauro de Almeida despertou o interesse de um realizador luxemburguês, e é uma oportunidade para descobrir um povo ameaçado que tem fascinado os antropólogos.
As imagens foram filmadas por Mauro de Almeida, responsável de um projecto educativo com os Yanomami na ONG luxemburguesa "Terra dos Homens"