Escolha as suas informações

Sindicatos temem pela "liberdade"
Luxemburgo 03.12.2019

Sindicatos temem pela "liberdade"

Sindicatos temem pela "liberdade"

Pierre Matgé
Luxemburgo 03.12.2019

Sindicatos temem pela "liberdade"

CGFP e SPFP pedem a intervenção do governo no caso das alegadas pressões do chefe do Estado Maior do Exército ao presidente do sindicato do exército.

A Confederação Geral da Função Pública (CGFP) e a União Profissional da Função Pública (SPFP) falam em pressões, intimidação e ameaças. 

Exigem a intervenção do governo no caso que dizem ser uma "ameaça às liberdade sindicais" no Luxemburgo. 

Esta segunda-feira, numa conferência de imprensa conjunta, denunciaram uma "violação" à Convenção de Genebra e apelaram ao ministro da Defesa, François Bausch, que reaja para "garantir as liberdades sindicais". 

Em causa o afastamento do vice-presidente da SPFP e presidente da União do Exército (Spal), Christian Schleck, que exigem ver reintegrado. 

"Exigimos que o Sr. Schleck retorne ao cargo que ocupou até há alguns dias atrás", reclamou o líder da CGFP Romain Wolff para quem, "além de um caso pessoal", é um questão "essencial, protegida pela Constituição".  

Logo no fim de novembro, os sindicatos exigiram a demissão do chefe do Estado-Maior do Exército, Alain Duschène, por alegadamente ter pressionado o dirigente sindical a propósito dos seus compromissos na representação dos trabalhadores. 

A polémica agravou-se com as denúncias dos sindicatos em relação à degradação das condições de trabalho das forças de segurança. Com cada vez menos efetivos, os polícias são obrigados a fazer horas extra. No limite, segundo os sindicatos, a sua segurança e a dos cidadãos não está assegurada.