Escolha as suas informações

Sindicatos temem pela "liberdade"
Luxemburgo 03.12.2019 Do nosso arquivo online

Sindicatos temem pela "liberdade"

Sindicatos temem pela "liberdade"

Pierre Matgé
Luxemburgo 03.12.2019 Do nosso arquivo online

Sindicatos temem pela "liberdade"

CGFP e SPFP pedem a intervenção do governo no caso das alegadas pressões do chefe do Estado Maior do Exército ao presidente do sindicato do exército.

A Confederação Geral da Função Pública (CGFP) e a União Profissional da Função Pública (SPFP) falam em pressões, intimidação e ameaças. 

Exigem a intervenção do governo no caso que dizem ser uma "ameaça às liberdade sindicais" no Luxemburgo. 

Esta segunda-feira, numa conferência de imprensa conjunta, denunciaram uma "violação" à Convenção de Genebra e apelaram ao ministro da Defesa, François Bausch, que reaja para "garantir as liberdades sindicais". 

Em causa o afastamento do vice-presidente da SPFP e presidente da União do Exército (Spal), Christian Schleck, que exigem ver reintegrado. 

"Exigimos que o Sr. Schleck retorne ao cargo que ocupou até há alguns dias atrás", reclamou o líder da CGFP Romain Wolff para quem, "além de um caso pessoal", é um questão "essencial, protegida pela Constituição".  

Logo no fim de novembro, os sindicatos exigiram a demissão do chefe do Estado-Maior do Exército, Alain Duschène, por alegadamente ter pressionado o dirigente sindical a propósito dos seus compromissos na representação dos trabalhadores. 

A polémica agravou-se com as denúncias dos sindicatos em relação à degradação das condições de trabalho das forças de segurança. Com cada vez menos efetivos, os polícias são obrigados a fazer horas extra. No limite, segundo os sindicatos, a sua segurança e a dos cidadãos não está assegurada.