Escolha as suas informações

Sindicatos: Folga orçamental deve beneficiar os mais pobres, defende OGBL
Luxemburgo 03.11.2017 Do nosso arquivo online

Sindicatos: Folga orçamental deve beneficiar os mais pobres, defende OGBL

Sindicatos: Folga orçamental deve beneficiar os mais pobres, defende OGBL

Foto: Steve Eastwood
Luxemburgo 03.11.2017 Do nosso arquivo online

Sindicatos: Folga orçamental deve beneficiar os mais pobres, defende OGBL

O sindicato luxemburguês OGBL exige que o orçamento do Estado (OE) para 2018 inclua mais medidas sociais em prol dos mais desfavorecidos.

O sindicato luxemburguês OGBL exige que o orçamento do Estado (OE) para 2018 inclua mais medidas sociais em prol dos mais desfavorecidos.

Em comunicado, a maior central sindical do Luxemburgo sublinha que as finanças públicas do país continuam sãs e que a administração pública apresenta um saldo positivo de 333 milhões de euros (+0,6% do PIB).

Essa folga orçamental deve crescer nos próximos anos, com perspetivas de atingir um saldo de 1,1 mil milhões de euros até 2021 (+7% do PIB).

Ora, neste contexto favorável diz a OGBL, “é necessário pôr em prática as políticas sociais que se impõem”.

Além disso, o sindicato minimiza o défice público de 890 milhões de euros, justificado pelo “elevado nível de investimento público (2,4 mil milhões de euros)”, incluído no OE de 2018.

A OGBL critica as forças políticas mais conservadoras, por “usarem os números do défice para reclamar menos despesa pública”, sublinhando que a dívida do Estado (22,7%) é uma das mais baixas da União Europeia. Neste capítulo, a média da zona euro é de 89,5%.

Por outro lado, prevê-se para 2018 um crescimento económico de 4,4%, bastante superior aos 3% de 2017.

Neste cenário, a OGBL exige, entre outras medidas, do governo “um reforço dos apoios sociais às famílias mais desfavorecidas, mais isenções fiscais e um aumento de 10% do salário social mínimo”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Orçamento do Estado visto à lupa
Mais investimento, mais dinheiro para a proteção do clima e para os transportes. Mas também mais desemprego e um excedente orçamental mais baixo do que o previsto para este ano. Saiba quais são as prioridades do Governo para o próximo ano.
França. Governo corta austeridade para travar coletes amarelos
Le Maire justificou que não haverá medidas complementares de controlo do défice porque "houve uma crise social", admitindo que "têm razão" os trabalhadores dos estratos sociais mais baixos em dizer que os seus salários estagnaram desde o período da crise financeira.
Luxemburgo: 2015 teve um excedente de 796 milhões de euros
As contas orçamentais do Luxemburgo foram melhores do que o esperado em 2015. O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Pierre Gramegna, que apresentou a Conta geral do Estado de 2015 perante a comissão de Finanças e Orçamento no Parlamento.
14.7. IPO / PK Wohnungsbau und Klimabank / Pierre Gramegna Foto.Guy Jallay
OE: Governo prevê crescimento económico de 3,4% para 2016
O Governo espera um crescimento económico de 3,4% no próximo ano. Durante a apresentação do documento, esta quarta-feira no Parlamento, o ministro da Finanças diz que este é um orçamento que aposta na "continuidade, é fiável, e é solidário".
Pierre Gramegna, ministro das Finanças do Luxemburgo