Escolha as suas informações

Setor da Horeca espera e desespera
Luxemburgo 10.12.2020

Setor da Horeca espera e desespera

Setor da Horeca espera e desespera

Foto:Gerry Huberty/Luxemburger Wort
Luxemburgo 10.12.2020

Setor da Horeca espera e desespera

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O setor da Horeca não ficou surpreendido com a decisão do Governo em manter os cafés e restaurantes fechados até 15 de janeiro de 2021. Mas diz que o sentimento geral no setor é de desespero.

Na semana passada, cafés e restaurantes ainda mantinham a esperança de poder abrir brevemente as portas, no entanto o anúncio de Xavier Bettel esta quarta-feira desfez todas as dúvidas: o setor vai manter-se encerrado até pelo menos 15 de janeiro.

Em declarações à RTL após o anúncio do primeiro-ministro, o secretário-geral da Horeca, François Koepp, referiu que o sentimento geral no setor é o de desespero. Segundo Koepp, o telefone não para de tocar na Camâra do Comércio, com patrões desesperados sem liquidez para pagar as faturas que continuam a chegar, apesar dos estabelecimentos continuarem fechados.

Ao mesmo tempo as prometidas ajudas governamentais tardam em chegar. A Horeca fala em atrasos consideráveis nas ajudas financeiras do Estado para pagar os salários dos funcionários que estão em desemprego parcial. Nalguns casos, o secretário-geral da Horeca, teme que algumas empresas tenham de esperar até fevereiro de 2021 para ver os salários de novembro deste ano serem reembolsados, uma situação que deixa muitas empresas sem liquidez. 


a
Restauração: "Não vamos aguentar muito mais tempo"
Cafés e restaurantes voltam a fechar esta semana, e assim permanecerão até 15 de dezembro. Mas o receio de que muitos estabelecimentos não consigam voltar a abrir portas é cada vez maior. Os empresários do setor tentam aguentar até ao fim da pandemia.

François Koepp sublinha, ao mesmo tempo, que apesar dos restaurantes e cafés estarem encerrados há quase duas semanas, as novas infeções não têm baixado, daí reivindicar um reembolso de 100% dos prejuízos sofridos no setor.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas